Busque sua Cidade
 
Inicial
 
Seções
A01 - Est. Turísticas
A02 - Est. Balneárias
A03 - Est. Climáticas
A04 - Est. Hidrominerais
C01 - Bauru
C02 - Campinas
C03 - Itapetininga
C04 - Mogi das Cruzes
C05 - Presidente Prudente
C06 - Ribeirão Preto
C07 - Santos
C08 - São Carlos
C09 - São José do Rio Preto
C10 - São José dos Campos
C12 - Sorocaba
C13 - Taubaté
D - MÚSICAS
E - BLOG DO JOÃO
 
Portal
Quem Somos
Como Anunciar
Fale Conosco
Enviar E-mail
 
Caconde

Caconde é um dos quinze municípios paulistas considerados estâncias climáticas pelo Estado de São Paulo, por cumprirem determinados pré-requisitos definidos por Lei Estadual. Tal status garante a esses municípios uma verba maior por parte do Estado para a promoção do turismo regional. Também, o município adquire o direito de agregar junto a seu nome o título de estância climática, termo pelo qual passa a ser designado tanto pelo expediente municipal oficial quanto pelas referências estaduais

Geografia:

Localiza-se a uma latitude 21º31'46" sul e a uma longitude  46º38'38" oeste, estando a uma altitude de 860 metros. Sua população estimada em 2004 era de 18.940 habitantes. Possui uma área de 470,50 km².

Demografia - censo de 2000

População total: 18.378

    * Urbana: 11.817

    * Rural: 6.561

    * Homens: 9.315

    * Mulheres: 9.063

Densidade demográfica (hab./km²): 39,06

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 12,95

Expectativa de vida (anos): 72,86

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,57

Taxa de alfabetização: 88,37%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,782

    * IDH-M Renda: 0,694

    * IDH-M Longevidade: 0,798

    * IDH-M Educação: 0,853

 Hidrografia

    * Rio Pardo

COMO CHEGAR

Partindo de São Paulo: BR-116

Localização

Nordeste do Estado de São Paulo

Limites

Ao Norte e Nordeste confronta com os municípios de Tapiratiba-SP e Muzambinho-MG.

A Leste confronta com Muzambinho-MG e Botelhos-MG.

A Sudeste confronta com Botelhos-MG e Poços de Caldas.

Ao Sul confronta com Poços de Caldas-MG e Divinolândia-SP.

A Oeste confronta com São José do Rio Pardo-SP. 

Acesso Rodoviário

BR-116

Distâncias

290 km da Capital

Historia:

O descobrimento do Município de Caconde é atribuído ao Capitão Pedro Franco Quaresma, que em 1755 estava no então arraial de Jacuí, bem próximo à região de Caconde. Entre os anos de 1755 a 1765 Capitão Quaresma esteve junto com outros Paulistas, fazendo descobertas na região entre o rio Sapucaí, o rio Grande, o rio Pardo e o caminho de Goiases e afluíram para essa região a procura de ouro.

A primeira notícia oficial da descoberta do território do atual Município de Caconde foi dada pelo então Sargento JERÔNIMO DIAS RIBEIRO a D. Luis Alexandre de Souza Menezes, governador de Santos, em carta datada de 20 de agosto de 1765. Os registros históricos de 1765 apontam como nome NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DAS CABECEIRAS DO RIO PARDO. Este sertanista e militar desconhecia que o governo de São Paulo havia sido restabelecido e que era seu capitão general D. Luiz Alexandre de Souza Menezes, razão pela qual a carta foi enviada ao Governo de Santos.

Com a notícia da descoberta de ouro e de que este era farto (mas na verdade os resultados não foram auspiciosos), o povoado se desenvolve às margens do Ribeirão Bom Sucesso. Os mineradores abandonaram as catas, mas os que se dedicavam à agricultura permaneceram na região e outros agricultores chegaram as terras de cultura para cultivá-las.

O dia 02 de março de 1775 é a data que deve ser considerada como fundação da primitiva Freguesia, pois o primeiro livro de batizado foi aberto e datado nesta data. Foi criada pelo Padre Francisco Bueno de Azevedo e denomina-se FREQUEZIA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DO BOM SUCESSO DO RIO PARDO. De acordo com o Regimento das Minas era obrigatório que cada descoberta de mina recebesse o nome do santo, ou santa de devoção do descobridor.

A Paróquia de Caconde foi desmembrada da vigária de Mogi Mirim e segundo o historiador Adriano Campanhole, o dia exato da criação da Freguesia de Caconde, no Bom Sucesso, é 02 de março de 1775, data, também, que o Padre Bueno de Azevedo deve ter chegado no arraial. O primeiro batizado que se tem notícia tem data de 11 de junho.

Outra versão permite que a Igreja adote a data de 19 de março de 1775, que vem sendo comemorada, prevalecendo a emoção e a devoção sobre a historiografia, por ter havido festividades religiosas na freguesia, em 19 de março de 1775.

A florescente povoação entrou em decadência, em razão da escassez de ouro nas catas e faisqueiras, e a população transferiu-se para o local denominado Barra do Bom Jesus, no lugar denominado Silvas, distante 3 quilômetros da cidade, onde havia sido descoberto ouro por Inácio Preto de Morais no ano de 1781.

Entre essa data e 1820, com a escassez do ouro, tanto no Bom Sucesso, quanto no Bom Jesus, os que se dedicavam à agricultura permaneceram na terra e muitos outros vieram assenhorear-se do que restava, requerendo sesmarias, ou mesmo obtendo glebas por compra e posse. No ano de 1810/1811 verificaram-se numerosas posses e pedidos de sesmarias. O ciclo da agricultura predomina.

Existiu núcleo populacional no Bom Sucesso, outro em São Mateus e no Bom Jesus, mas a Igreja Matriz sempre esteve no Bom Sucesso. Permaneceu por alguns anos sem vigário e eclesiasticamente vinculada a Paróquia de Cabo Verde, como bairro do Bom Sucesso. Data de 27 de junho de 1820 o último falecimento registrado no livro de enterramentos no Cabo Verde e no Bom Sucesso. Nessa época a Igreja do Bom Sucesso já estava em ruínas e provavelmente os moradores já haviam solicitado a restauração da Freguezia ao visitador diocesano padre Antonio Marques Henrique quando este passou em Cabo Verde em 08/08/1918.

A iniciativa da restauração da Freguezia é do alferes Manoel Alves Moreira Barbosa, que em 29 de fevereiro de 1820 enviou carta, por ele assinada, ao capitão-mor de Mogi-Mirim, José dos Santos Cruz, pedindo apoio para obtenção de licença para construção de nova capela.

A restauração de Caconde é de 28 de junho de 1820, no local em que se encontra hoje.

A Paróquia não possuía patrimônio para construção da Igreja e Miguel da Silva Teixeira e sua mulher, Maria Antonia dos Santos doaram, 103 alqueires de terras, correspondente a um quarto de légua em quadra, a Nossa Senhora da Conceição, para construção da nova Igreja Matriz, em 28 de dezembro de 1822. Os doadores possuíam no total 1.022 alqueires de terra.

Doado o terreno, inicia-se a construção da Igreja Matriz, no local onde está hoje. Diz a tradição que a primeira missa foi celebrada em 24 de dezembro de 1824. Nesse dia, foi celebrada a missa inaugural do novo templo, apenas o altar-mor.

Entretanto, esse dado não é correto, pois essa data pode ter sido a missa de inauguração. Mas, em 19 de março de 1823, foi passada provisão ao Padre Carlos Luis de Melo, que passou a celebrar missas. A 08 de outubro, foi passada nova provisão e a provisão de funcionamento da Igreja é de maio de 1824.

Em 1828, a Igreja Matriz já obtivera provisão e benção e compunha-se, unicamente, de capela-mor.

A primitiva matriz possuía uma porta frontal e duas portas de cada lado, com degraus de pedra. Era coberta de telhas e possuía duas torres. Na parte frontal três varandas, com um cruzeiro na frente e junto dele um chafariz.

A Igreja passou por reformas no período de 1917 a 1920. Inicia-se, neste ano, a reforma das torres, desaparecendo as duas torres para construir apenas uma central, cuja obra terminou provavelmente em 1924.

Em 08 de dezembro de 1939, a Igreja já contava novamente com duas torres. Essas duas torres foram modificadas junto com a parte externa para alcançar estilo românico puro, sendo inaugurada em 19 de março de 1975, quando a paróquia festejou o segundo centenário.

Em 1828, a população do povoado era de 100 habitantes e 1600 em toda Freguezia. Pertencia a Mogi-Mirim. Após movimento para iniciar a vida política, em sessão de 06 de abril de 1828, a Câmara Municipal de Mogi-Mirim nomeou o Capitão Domiciano José de Souza para exercer o cargo de Juiz de Paz, José Barbosa Guimarães para suplente e Joaquim Alves Moreira para o cargo de escrivão. Nesse mesmo ano, a Câmara de Mogi Mirim autorizou na Freguezia de Caconde três eleitores e procedeu a qualificação dos eleitores que estariam aptos para eleger pelo voto direto o Juiz de Paz e seu suplente.

Em 08 de dezembro de 1828, na Igreja Matriz realizaram-se as primeiras eleições, presidida pelo juiz de paz Domiciano de Souza e pelo padre Carlos Luis de Melo. Foram eleitos: capitão Domiciano José de Souza, Vigilato José de Souza, Padre Carlos Luis de Melo, Flávio Antonio Martins Ferreira, José Custódio Dias, Francisco Ribeiro do Vale e Joaquim Alves Moreira.

O movimento para elevar a Freguezia de Caconde à Vila iniciou-se no ano de 1863, cujo projeto de lei foi apresentado na Assembléia pelo Deputado Casemiro Macedo e após inúmeras discussões foi aprovado em 31 de março de 1864. O presidente da província sancionou a Lei nº 6 em 5 de abril de 1864, elevando a Freguezia de Caconde à categoria de Vila.

A primeira eleição para Vereadores ocorreu em 7 de setembro de 1864, quando Caconde possuía 734 eleitores, sendo a Câmara Municipal instalada em 21 de janeiro de 1865.

Caconde pertenceu às comarcas de Jundiaí, 1775; Itu, 1811; Campinas, 1833; Franca, 1839; Mogi Mirim, 1852; Casa Branca, 1872.

Preocupada em ter uma justiça própria, em 10 de março de 1866, a Câmara Municipal iniciou o trabalho, visando à nomeação de um juiz formado para prestação da Justiça e desvinculado de Casa Branca. Este trabalho perdurou até 25 de fevereiro de 1874, quando o Deputado Antonio Pinheiro Hulha Cintra, em sessão de 25 de fevereiro de 1874, apresentou projeto de lei para destacar os termos de Caconde e São Sebastião da Boa Vista da Comarca de Casa Branca.

O projeto foi aprovado e sancionado a lei nº 10 em 24 de março de 1874, criando a comarca de Caconde.

Em 09 de março de 1883, foi sancionada a lei nº 10 de 09 de março de 1883, elevando à categoria de cidade a Vila de Caconde.

Em 05 de abril de 1966, Caconde foi constituída em Estância Climática, através da Lei Estadual nº 9.275, após aprovação de projeto de lei do Deputado Mantelli Neto.

Datas comemorativas

Aniversário      8 de dezembro

Fundação         2 de março de 1775

Gentílico          cacondense

Administração

Prefeito: Antônio Carlos de Faria

Vice prefeito: Luciano de Almeida Semensato.

Turismo:

Situada na Serra da Mantiqueira, Caconde é uma cidade com um extraordinário potencial turístico. Seus montes e vales, inúmeros riachos e cachoeiras, suas matas nativas ainda intocadas e as belas corredeiras do Rio Pardo oferecem condições ideais para a prática de esportes de aventura. Com a construção da Usina Caconde pela Comércio Construtora Camargo Correa, cujas obras se iniciaram em 1958, a paisagem foi profundamente modificada. O represamento das águas pela barragem, cuja extensão chega a 450 metros, proporcionou a formação de um lago artificial com 31 km² de área.

A exploração do Turismo Rural também é possível, pois a região possui tradição na cafeicultura e fazendas centenárias.

Principais pontos turísticos:

    * Aquário Municipal de Caconde

    * Basílica Santuário de Nossa Senhora da Conceição em Caconde

    * Biblioteca Municipal "Joãozinho Gomes"

    * Cachoeira de São João

    * Cachoeira de Santa Quitéria

    * Capela de Nossa Senhora da Conceição Aparecida (Centenária - 1908)

    * Casa da Cultura "Prof. Edmundo Migliaccio" - Edifício datado aproximadamente de 1900.

    * Corredeiras do Rio Pardo (raffting)

    * Cemitério Municipal (Antigo), datado aproximadamente de 1850.

    * Escadaria e Gruta de Nossa Senhora do Rosário

    * Fuga, Escoadouro da Represa Caconde (lagos e trilhas ecológicas)

    * Morro do Pontal (Capela e Mirante)

    * Paço Municipal "Miguel Teixeira da Silva" - Edifício de influência italiana.

    * Parque "Prainha"

    * Praça "Dr. Ranieri Mazzilli", Praça da Basílica(Centro)

    * Praça "Do Rosário", Monumento ao Cristo Redentor.

    * Praça "Pedro Ribeiro de Paiva", Mirante.

    * Represa Caconde

    * Usina Velha (lagos e trilha ecológica)

Eventos:

Janeiro

Dias 12, 13, e 14

Fest Verão 2007

JUNHO

Dias 07, 08, 09 e 10

4°Encontro Off-Road (Prainha de Caconde)

 Julho

Dias 13, 14 e 15

12° Festival de Viola “Troféu João Lindório”

Dia 28

Baile da Escolha da Rainha do Rodeio 2007

 Agosto

Dia 05

18ª Cavalhada

Dias 10, 11 e 12

17ª Festa do Peão de Boiadeiro de Caconde

 Setembro

De 31 de Agosto a 9 de Setembro

Festa em Louvor a Nossa Senhora Aparecida e São Roque

 Outubro

Dias - 11, 12 e 13

Cacofolia (Micareta de Caconde)

 Dezembro

Dia 08

Comemorações do Aniversário de Caconde

Dia 31

Reveilon

Fontes:

http://www.caconde.sp.gov.br/portal1/intro.asp?iIdMun=100135099

site da cidade:

http://www.caconde.sp.gov.br/portal1/intro.asp?iIdMun=100135099

 

 
MAIS SOBRE Caconde:
 
Deixe seu Comentário
 
 
COMETÁRIOS SOBRE Caconde:
 
03/12

muito boa festa

Enviado por manuel pereira às 17h40
30/08

Preciso do email da prefeitura

Enviado por Suel reis às 19h12
09/04

quero visitar a basilica de nossa senhora da conceiçao do bom sucesso de caconde.

Enviado por guilherme às 14h44
 
Seções: A01 - Est. Turísticas | A02 - Est. Balneárias | A03 - Est. Climáticas | A04 - Est. Hidrominerais | C01 - Bauru | C02 - Campinas | C03 - Itapetininga | C04 - Mogi das Cruzes | C05 - Presidente Prudente | C06 - Ribeirão Preto | C07 - Santos | C08 - São Carlos | C09 - São José do Rio Preto | C10 - São José dos Campos | C12 - Sorocaba | C13 - Taubaté | D - MÚSICAS | E - BLOG DO JOÃO |
Portal: Inicial | Quem Somos | Como Anunciar | Fale Conosco | Enviar Email |

© Interior SP - Cidades. Todos os Direitos Reservados.

Desenvolvimento: UPWEB Internet Solutions