Busque sua Cidade
 
Inicial
 
Seções
A01 - Est. Turísticas
A02 - Est. Balneárias
A03 - Est. Climáticas
A04 - Est. Hidrominerais
C01 - Bauru
C02 - Campinas
C03 - Itapetininga
C04 - Mogi das Cruzes
C05 - Presidente Prudente
C06 - Ribeirão Preto
C07 - Santos
C08 - São Carlos
C09 - São José do Rio Preto
C10 - São José dos Campos
C12 - Sorocaba
C13 - Taubaté
D - MÚSICAS
E - BLOG DO JOÃO
 
Portal
Quem Somos
Como Anunciar
Fale Conosco
Enviar E-mail
 
Rincão

Rincão é um município brasileiro  do estado de São Paulo

Geografia:

Localiza-se a uma latitude 21º35'13" sul e a uma longitude  48º04'15" oeste, estando a uma altitude de 530 metros. Sua população estimada em 2004 era de 10 317 habitantes.

Possui uma área de 314,27 km².

Demografia

Dados do Censo - 2000

População total: 10.330

* Urbana: 8.257

* Rural: 2.073

* Homens: 5.226

* Mulheres: 5.104

Densidade demográfica (hab./km²): 32,96

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 12,40

Expectativa de vida (anos): 73,19

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,59

Taxa de alfabetização: 88,86%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,777

* IDH-M Renda: 0,675

* IDH-M Longevidade: 0,803

* IDH-M Educação: 0,853

Hidrografia

* Rio Moji-Guaçu

Acesso Rodoviário

SP-255

Distâncias

262 km da Capital

Historia:

Rincão – desde 1.884 – 1.948 A história atual da cidade de Rincão muito se prende a de Araraquara, pois desde a sua formação (1884) até 1948, esteve ligada a ela. Os primeiros habitantes primitivos da região foram os Guayanás, de uso e costumes próprios, sedentários e não antropófagos, que aqui construíram suas tabas. Na linguagem comum, rincão é um lugar qualquer, mas o aspecto geográfico a que se refere, o vocabulário colhido em tempos remotos, tem características próprias. De origem castelhana, provém da época em que o arame não era utilizado na Campanha Gaúcha. A criação de gado exigia o uso de lugares apropriados para manter o rebanho, sendo as águas dos rios um dos obstáculos naturais, como também os morrões, capões de matas. Rincão era a curva do rio que permitia manter reunido o gado ou tropas, porque fechada por três lados ocupava o quarto a pionada encurralando os animais. Como o rincão é acidente comum na paisagem gaúcha, a pionada ou tropa, escolhia tais lugares para acampar, daí veio o derivado arrinconar: por os animais num rincão, fazer pouso durante a jornada. Em tempos remotos passavam conduzindo suas tropas pela região e no lugar onde acampavam, existe um córrego de cada lado, protegendo por morros e matas, sendo hoje a fazenda São José da Cachoeira, enquanto que o sítio urbano da cidade de Rincão era chamado Paciência, nome do córrego que margeia. Em 1790 Pedro José Neto – de Itú foragido da justiça, penetrou pelas matas, hoje São Carlos, fundando Araraquara; explorou a região e estabeleceu as posses de Ouro, Rancho Queimado, Cruzes, Lageados, Cambuí, Monte Alegre, Bonfim Almas, fixando-se em Monte Alegre; para ficar livre da justiça de Itú, repartiu com outros exploradores os seus domínios. Entre eles Major Duarte vendeu Monte Alegre e fez doação das posses do Ouro, Cruzes e Rancho Queimado; a João Manuel do Amaral a do Bonfim; a Domingos Soares de Barros a do Lageado, e ao Coronel Joaquim Moraes de Leme a do Cambuí. Eles requeriam carta de sesmaria 1 junto ao governo, para maior segurança de seus direitos e assegurarem a manutenção de suas posses. Em 1812 veio de Porto feliz o Juiz das Mediações ajudante José Joaquim da Rocha, que deu início a divisão das terras. As sesmarias que formaram o município de Rincão foram: Almas, Rancho Queimado, Anhumas, Bonfim e Simão (Motuca). Eram grandes proprietários com grande número de mão-de-obra escrava, no cultivo na sua maioria era o café. Por volta de 1880 existiam em Paciência três casebres de taipas e barro. Em 1884 notícia de que a Companhia Paulista de Estrada de Ferro iria passar pelos trilhos pelo “rincon”, com isso os proprietários fundaram em Paciência uma vila onde foi construída uma capela e deram o nome ao local de Rincão. A povoação situava a direita do Córrego da Paciência continuando a Fazenda com o nome de São José da Cachoeira. Em 01/04/1892, a Companhia de Estrada de Ferro concluía o assentamento dos trilhos e deu a inauguração da Estação de Rincão, influindo em motivos especiais como a atividade Agrícola , que na época era o café, e a pecuária constituindo o local numa espécie de garganta por onde passavam todos os produtos, com destino a capital, e também a localização geográfica próxima de grandes centros na época. Os fundadores foram os donos da fazenda: João Luís e Francisco Caetano Sampaio, cujas as terras se estendiam até o local da Vila em fundação. Para a formação do patrimônio paroquial, João Caetano Sampaio doou as terras onde foi construída a Igreja e vieram os primeiros habitantes.

Fundação         24 de dezembro de 1909

Gentílico          rinconense

Administração

* Prefeito:  AMARILDO DUDU BOLITO

Igreja Católica

O município pertence à Diocese de São Carlos.

TURISMO

Principais Pontos Turísticos

Estação Ferroviária

Cia. Paulista de Estradas de Ferro (1892-1971)

FEPASA (1971-1998)

RINCÃO

Município de Rincão, SP

Linha-tronco - km 285,759 (1958)   SP-2232

Inauguração: 01.04.1892

Uso atual: Prefeitura Municipal e Centro Cultural   com trilhos

Data de construção do prédio atual: c.1915

HISTÓRICO DA LINHA: A linha-tronco da Cia. Paulista foi aberta com seu primeiro trecho, Jundiaí-Campinas, em 1872. A partir daí, foi prolongada até Rio Claro, em 1876, e depois continuou com a aquisição da E. F. Rio-Clarense, em 1892. Prosseguiu por sua linha, depois de expandi-la para bitola larga, até São Carlos (1922) e Rincão (1928). Com a compra da seção leste da São Paulo-Goiaz (1927), expandiu a bitola larga por suas linhas, atravessando o rio Mogi-Guaçu até Passagem, e cruzando-o de volta até Bebedouro (1929), chegando finalmente a Colômbia, no rio Grande (1930), onde estacionou. Em 1971, a FEPASA passou a controlar a linha. Trens de passageiros trafegaram pela linha até março de 2001, nos últimos anos apenas no trecho Campinas-Araraquara.

 

A ESTAÇÃO: O povoado já existiria em 1884, quando os proprietários de terras do local, então um bairro rural afastado no município de Araraquara, ouvindo que a então Companhia Rio Clarense iria levar suas linhas até ali, construíram uma igreja dando o nome de Rincão ao povoado de 3 ou 4 casas de taipa que tinha o nome do córrego ali perto, Paciência. A estação foi finalmente aberta em 1892, já pela Companhia Paulista. A partir de 1901, passou a ser ponto de bifurcação da linha, com a inauguração do ramal do Mogi-Guaçu, que chegaria a Pontal dois anos mais tarde. A partir de 1928, com o alargamento de bitola da linha que transformaria em tronco o trecho Rincão-Passagem- Bebedouro, passou a ser o ponto de saída do agora chamado ramal de Jaboticabal, antiga linha-tronco em bitola métrica, até então. Este ramal foi extinto em janeiro de 1969. Também em 1928, chegaria à estação a eletrificação da linha. de Monteiros, uma derivação que ia para Ribeirão Preto. A Cia. Paulista nos levava da Estação da Luz até Rincão, onde acabava a alimentação elétrica. Não dá para esquecer os vagões azuis impecáveis da Paulista. Em Rincão, saía a locomotiva elétrica e entrava a máquina Diesel, que nos deixava em Guatapará e seguia para Barretos. Eu adorava ver a operação de troca de locomotivas. De Guatapará íamos de máquina a vapor para Monteiros, na fazenda onde nasceu minha mãe. Estou falando da década de 50 (Coryntho Silva Filho, 08/2003).

A locomotiva V-8 da FEPASA entra como nos velhos tempos de Paulista, puxando o trem de passageiros que vai estacionar alguns minutos ali, para troca de locomotivas. Ali era o final da tração elétrica (Foto Coryntho Silva Filho).

alargada, a Paulista manteve uma linha de bitola mista nos 11 km entre Rincão e Guatapará, para que os trens de bitola métrica da Paulista pudessem atingir a estação de Guatapará e dali, se necessário, entrar nas linhas métricas da Mogiana até São Simão ou Ribeirão Preto por questões operacionais: o mesmo era válido para os trens da Mogiana. Somente em 1949 Rincão tornou-se município. Rincão foi a ponta dessa eletrificação até 1997, quando a Fepasa, sucessora da Paulista, retirou os cabos aéreos, mantendo-os somente até Araraquara. Os trens de passageiros, que seguiam, nos últimos anos, até Barretos, acabaram por ser suprimidos em março de 1998; mesmo assim, e como um milagre, a estação estava muito bem conservada em agosto de 1998, quando lá estive pela primeira vez, e se parecia com uma estação de filmes antigos: as placas no lugar, o escritório arrumadinho, chefe de estação, móveis antigos... A plataforma era totalmente coberta, como nas grandes estações. Infelizmente, a situação mudou rapidamente: Já viu como está a estação de Rincão? Com tapumes e totalmente tomada por cheira-colas. Fui lá semana passada com esposa e filhos, enxotando maconheiros para poder ficar um pouco no que restou de seu belo jardim interno. Um, velhinho que estava passando falou: olha só, isso é Brasil. Eu não sabia se sorria ou chorava. A estação e a cidade estão tão abandonadas que é uma das poucas cidades de SP que diminuíram entre os dois últimos censos. Com Rincão aconteceu o mesmo que pode acontecer com todas as cessões: um particular ia transformar aquilo em sala cultural. Botou tapume em tudo, abandonou e desapareceu. Dá ainda para ver o velho relógio da estação e indicadores de salas (Hélcio Tagliolato, 27/04/2001). Em fevereiro de 2004, a estação foi entregue reformada pela Prefeitura e passou a servir de sede da Prefeitura - em caráter provisório, e em centro cultural, segundo Robson Vitalli. (Fontes: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. XXX, IBGE, 1958, p. 41-43; pesquisa local, 1998-2005; Coryntho Silva Filho; Hermes Hynuy; Filemon Peres; Verbo Arquitetura; Helcio Tagliolato, 2001; Robson Vitalli, 2004).

Fontes:

http://citybrazil.uol.com.br/sp/rincao/index.php

http://www.ferias.tur.br/informacoes/9564/rincao-sp.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Rinc%C3%A3o

http://www.rincao.sp.gov.br/historia.html

site da cidade:

http://www.rincao.sp.gov.br

 
MAIS SOBRE Rincão:
 
Deixe seu Comentário
 
 
COMETÁRIOS SOBRE Rincão:
 
25/02

Boa tarde estive nos anos 90 gostei muito fui a passeio jogar bola hoje queria encontrar ámigos se possível um amigo sr Luiz sperafico todos comhece

Enviado por wanderley xavier às 15h27
30/05

As informações estão muito desatualizadas. A estação de Rincão é uma das poucas que foram restauradas e está muito bem conservada. 2014.

 

SPCIDADES:

As informações são aquelas compiladas da internet.

Quem atualiza são as prefeituras e orgãos oficiais das cidades.

NÃO TEM CUSTO ALGUM.

O interesse é dos próprios cidadãos e da Prefeitura em atualizar e divulgar sua cidade.

Enviado por Levi às 23h13
27/03

Quero saber como encontrar documentos doeu pai nesta cidade . Ele veio C família da Espanha como imigrantes .consultei central da imigração em SP .a família foi levada para Rincão , trabalhar na lavoura

Enviado por Maria Rosa Quintana às 10h15
17/01

itatinga eu ache maravilhosa,obrigado.

Enviado por maria às 18h22
 
Seções: A01 - Est. Turísticas | A02 - Est. Balneárias | A03 - Est. Climáticas | A04 - Est. Hidrominerais | C01 - Bauru | C02 - Campinas | C03 - Itapetininga | C04 - Mogi das Cruzes | C05 - Presidente Prudente | C06 - Ribeirão Preto | C07 - Santos | C08 - São Carlos | C09 - São José do Rio Preto | C10 - São José dos Campos | C12 - Sorocaba | C13 - Taubaté | D - MÚSICAS | E - BLOG DO JOÃO |
Portal: Inicial | Quem Somos | Como Anunciar | Fale Conosco | Enviar Email |

© Interior SP - Cidades. Todos os Direitos Reservados.

Desenvolvimento: UPWEB Internet Solutions