Busque sua Cidade
 
Inicial
 
Seções
A01 - Est. Turísticas
A02 - Est. Balneárias
A03 - Est. Climáticas
A04 - Est. Hidrominerais
C01 - Bauru
C02 - Campinas
C03 - Itapetininga
C04 - Mogi das Cruzes
C05 - Presidente Prudente
C06 - Ribeirão Preto
C07 - Santos
C08 - São Carlos
C09 - São José do Rio Preto
C10 - São José dos Campos
C12 - Sorocaba
C13 - Taubaté
D - MÚSICAS
E - BLOG DO JOÃO
 
Portal
Quem Somos
Como Anunciar
Fale Conosco
Enviar E-mail
 
Sumaré

Considerado pelo IBGE como Município de Grande Atividade Econômica, predominantemente industrial operando principalmente os setores automotivo, metal-mecânica, plásticos e borracha, e químico. No setor agrícola, expressiva produção de cana-de-açucar, tomate (segundo produtor nacional ) e batata inglesa. Os segmentos de comércio e de prestação de serviços encontram-se em franco crescimento, com destaque recente para o setor de armazenagem e transportes, instalação de hotéis, magazines, escolas etc. Sendo hoje o segundo mercado consumidor entre as 19 cidades da Região Metropolitana de Campinas.

 

População: 248.500 habitantes (2006)

 

Clima

Tropical

Temperatura Média

25º C

 

Localização

Localizado na Região Sudeste do Estado de São Paulo

Limites

Hortolândia, Campinas, Santa Bárbara, Nova Odessa, Monte-Mor e Paulínia.

 

Rodovias

Rodovia Anhanguera, a Bandeirantes e a antiga FEPASA (Ferrovias Paulistas Sociedade Anônima), além das rodovias municipais que ligam Sumaré a Nova Veneza, a Monte Mor, Hortolândia e a Nova Odessa.

Distâncias

114 km da Capital

 

DISTÂNCIAS
SUMARÉ A CAMPINAS - 23 quilômetros
SUMARÉ A VIRACOPOS - 45 quilômetros
SUMARÉ A SÃO PAULO - 115 quilômetros
SUMARÉ A BRASÍLIA - 944 quilômetros
SUMARÉ AO RIO DE JANEIRO - 534 quilômetros

 

História

Em meados do século XVIII, surge nesta região, a Vila de São Carlos das Campinas. Ao seu redor vão surgindo as sesmarias, depois as fazendas, depois os vilarejos. O fator maior dessa expansão foi o café que, em 1850, já era largamente produzido em Campinas e nas fazendas vizinhas. Antes do café, e impulsionados por ele, estradas e caminhos novos eram rasgados passando por Campinas rumo à Limeira, Rio Claro, Santa Bárbara e Piracicaba. Utilizada como parada de tropeiros e viajantes, Sumaré tem sua origem unida à concessão de sesmarias em finais do século XVIII. Já com fazendas e povoado formados, no dia 26 de julho de 1868 foi construída uma capela dedicada à Nossa Senhora de Sant’Ana, marco da fundação , em torno da qual toda a cidade se desenvolveu. Com a inauguração da estação da Companhia Paulista de Estradas de Ferro, em 1875, o povoado progrediu rapidamente. A Estação recebeu o nome de um dos maiores engenheiros brasileiros, Antonio Pereira Rebouças Filho. 
Em 1920, o povoado já contava com energia elétrica, posto policial, iluminação pública, cartório, escola, serviço telefônico, igreja matriz, subprefeitura e pronto socorro. O serviço de abastecimento de água foi inaugurado em 1934.  
Sumaré, que era conhecido como Quilombo e até então era chamada Rebouças, recebeu o seu atual nome em 1945, dez anos antes da emancipação de Campinas ocorrida em 01 de janeiro de 1953, sendo elevada à condição de Comarca no ano de 1964. A partir dessa década sua população cresceu rapidamente, chegando a deter um aumento de quase 400% nos anos setenta. O vertiginoso crescimento populacional se deveu à rápida industrialização e à conseqüente vinda de migrantes de todo o país. O distrito de Nova Veneza foi criado em 1958, após a formação de um núcleo de pequenos lotes originários da divisão da fazenda de Luiz Campo Dall’Orto. Para possibilitar a sua criação foram desmembradas terras dos distritos da Sede e Hortolândia.

Imigrantes e Migrantes:

A história de Sumaré se divide nitidamente em duas partes: até 1950 sua população era basicamente formada por imigrantes italianos e portugueses; depois de 1950, pela presença de migrantes de todos os estados do Brasil. Os imigrantes vieram quando o café chegou a Campinas na segunda metade do século XIX. A produção cafeeira avançava para o oeste paulista deixando para trás as terras cansadas e as antigas fazendas retalhadas em pequenos sítios, agora ocupadas pelos imigrantes. Eles compravam terras, praticavam a agricultura nas imediações de Sumaré ou abriram comércio na zona urbana. O vilarejo crescia ao redor da Estação de Rebouças, impulsionado pelo comércio, pela incipiente indústria de sabão, de tijolos, de bebidas e pela atividade extrativa da madeira. Em 1907 o povoado tinha perto de 300 habitantes, em 1912 pouco mais de 400, em 1940 o distrito tinha perto de 5.000 e em 1950 chegava a 6000. Coincidido com a industrialização do Sudeste, as indústrias alcançaram Sumaré nos anos 50 e a partir de então o município vivenciou um crescimento vertiginoso a cada década. Em 1943 veio a 3M e de lá para cá, dezenas de outras indústrias seguiram o mesmo caminho, impulsionando o desenvolvimento do Município.
Em 1991 o distrito de Hortolândia emancipou-se de Sumaré. O Município é considerado um município Industrial. Na agricultura o seu forte é a produção de tomate, que exporta para os países do Mercosul.

Significado do Nome

Sumaré tem seu nome em resultado de uma disposição governamental que impedia a ocorrência de nomes iguais em duas ou mais localidades do país. A cidade chamava-se Rebouças e existia homônima no Paraná, tal nome foi adotado em homenagem ao Engenheiro Ferroviário Antonio Pereira Rebouças Filho, que emprestou seu nome, também à estação ferroviária de Sumaré. Em 1944, através do decreto 14.334 foi adotado o nome de Sumaré, que é uma orquídea outrora comum na região, empregada também na medicina popular.

Aniversário da Cidade 26 de Julho

Fundação 26 de julho de 1868

 

Gentílico: sumareense

 

Adminsitração

Prefeita: CRISTINA CONCEIÇÃO BREDDA CARRARA

 

Hotel

http://www.hotelinsite.com.br/procura/resultado.asp?cid=sumare

 

Site da cidade

http://www.sumare.sp.gov.br/

 

Fonte

http://pt.wikipedia.org/wiki/Sumaré

http://www.ferias.tur.br/informacoes/9700/sumare-sp.html

 
MAIS SOBRE Sumaré:
 
Deixe seu Comentário
 
 
COMETÁRIOS SOBRE Sumaré:
 
15/10

Ola...pais e tios de ambos os lados viveram muito tempo na fazenda santa laura...hoje procuro informacoes da fazenda. Familia santiago, familia alves, familia borges, a maioria estao na regiao de campinas , sumare jundiai campinas. Procuro informacoes da fazenda..ok grato

Enviado por Sandro santiago da silva às 19h26
07/06

cidade que praticamente passsei quase toda minha infancia que foi pequena pois tinha que trabalhar me manter porisso tenho ogulho do que sou hoje cidade muito linda gosto demais dessa cidade estamos eu meus irmãos sempre comentando

Enviado por higino às 08h47
 
Seções: A01 - Est. Turísticas | A02 - Est. Balneárias | A03 - Est. Climáticas | A04 - Est. Hidrominerais | C01 - Bauru | C02 - Campinas | C03 - Itapetininga | C04 - Mogi das Cruzes | C05 - Presidente Prudente | C06 - Ribeirão Preto | C07 - Santos | C08 - São Carlos | C09 - São José do Rio Preto | C10 - São José dos Campos | C12 - Sorocaba | C13 - Taubaté | D - MÚSICAS | E - BLOG DO JOÃO |
Portal: Inicial | Quem Somos | Como Anunciar | Fale Conosco | Enviar Email |

© Interior SP - Cidades. Todos os Direitos Reservados.

Desenvolvimento: UPWEB Internet Solutions