Busque sua Cidade
 
Inicial
 
Seções
A01 - Est. Turísticas
A02 - Est. Balneárias
A03 - Est. Climáticas
A04 - Est. Hidrominerais
C01 - Bauru
C02 - Campinas
C03 - Itapetininga
C04 - Mogi das Cruzes
C05 - Presidente Prudente
C06 - Ribeirão Preto
C07 - Santos
C08 - São Carlos
C09 - São José do Rio Preto
C10 - São José dos Campos
C12 - Sorocaba
C13 - Taubaté
D - MÚSICAS
E - BLOG DO JOÃO
 
Portal
Quem Somos
Como Anunciar
Fale Conosco
Enviar E-mail
 
Piquete

Piquete

Geografia

Possui uma área de 176,32 km².

A densidade demográfica é de 87,52 hab/km².

Os municípios limítrofes são Delfim Moreira a noroeste e norte, Cruzeiro a leste,Cachoeira Paulista a sudeste, Lorena a sul e Guaratinguetá a sudoeste.

Demografia

Dados do Censo - 2000

População total: 15.200

Urbana: 14.209

Rural: 991

Homens: 7.429

Mulheres: 7.771

Densidade demográfica (hab./km²): 86,41

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 14,38

Expectativa de vida (anos): 72,03

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 1,98

Taxa de alfabetização: 93,05%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,801

IDH-M Renda: 0,717

IDH-M Longevidade: 0,784

IDH-M Educação: 0,901

(Fonte: IPEADATA)

Hidrografia

Rio Piquete é formado pelos Ribeirões Sertão e Benfica, desemboca no Rio Paraíba do Sul em Cachoeira Paulista.

Ribeirão Sertão Nasce na Serra da Mantiqueira e desemboca no Rio Piquete em frente a rodoviária de Piquete.

Ribeirão Benfica Nasce na Serra da Mantiqueira e desemboca no Rio Piquete em frente a rodoviária de Piquete.

Ribeirão Passa Quatro Nasce na Serra da Mantiqueira e desemboca no Rio Piquete na divisa com Cachoeira Paulista.

Ribeirão Limeira Nasce na Serra da Mantiqueira e desemboca no Rio Paraíba do Sul em Lorena atrás do campus da USP.

Ribeirão Itabaquara Nasce na Serra da Mantiqueira e desemboca no Rio Piquete.

Ribeirão Jaracatiá Nasce na Serra da Mantiqueira e desemboca no Rio Piquete.

Pontos culminantes (Serra da Mantiqueira)

Pico dos Marins - 2420,7 m - Ponto culminante do Estado de São Paulo

Pico do Ataque - 2030 m

Pico Alto Lavrinhas - 1946 m

Pico do Cabrito - 1817 m

Pico Focinho do Cão - 1767 m

Pico Meia Lua - 1720 m

Rodovias

SP-183 Christiano Alves da Rosa

BR-459 ligando Lorena - SP até Poços de Caldas - MG

Distâncias

Lorena - 18 km

Cachoeira Paulista - 30 km

Cruzeiro - 25 km

Delfim Moreira - 30 km

Aparecida – 41 km

Guaratinguetá - 32,1 km

Itajubá – 45 km

Pouso Alegre – 111 km

São Paulo - 216 km

Rio de Janeiro - 258 km

Belo Horizonte – 503 km

Brasília - 1088 km

HISTÓRIA DA CIDADE

A história da cidade teria como início, mais precisamente, no desbravamento do Vale do Paraíba, que se deu por volta de 1628, com a concessão a Jacques Félix de terras no Sertão do Rio Paraíba. Já em 1645, Jacques Félix fundou a Vila de São Francisco de Chagas de Taubaté, vila a qual, se tornou principal ponto a espalhar novos povoamentos, dando início ao desbravamento do Vale do Paraíba e do Sul de Minas Gerais.

Jacques Félix, em 1643, concedeu ao Capitão Domingos Luiz Leme, sesmaria, no sertão de Guaratinguetá, nascendo ali , uma vila em 1651, com o nome de Vila de Santo Antônio de Guaratinguetá.
Com o tempo, bandeirantes vindo de Taubaté e Piratininga no afã de encontrar ouro e pedras preciosas, utilizavam-se do Porto de Guaypacaré como ponto de partida para a transposição do Rio Paraíba e da Serra da Mantiqueira. No final do séc. XVII, foi erigida junto ao Porto de Guaypacaré uma capela invocando Nossa Senhora da Piedade. Tal porto foi elevado em 1718 à condição de Freguesia. Em 1703, o taubateano Miguel Garcia Velho, descobriu as minas de Caxambu e Itagyba , na atual Delfim Moreira.

O Capitão Lázaro Fernandes , morador na Freguesia de Nossa Senhora da Piedade do Guaypacaré , em 1741, abriu uma picada pelas suas terras até as minas de Itajubá. Tal picada, seria o caminho que futuramente provocaria o surgimento de Piquete.
E virtude do fisco da Coroa Portuguesa, caminhos diversos foram abertos para burlar tal contribuição. Com isso, a Coroa Portuguesa, na pessoas de suas autoridades, instalou no caminho aberto por Lázaro Fernandes, um Registro (Posto Fiscal), sendo obrigatório a parada de todos que por ali quisessem passar.

O Registro contava com um piquete de cavalaria, responsável pela segurança do posto e combate aos que tentassem burlar a fiscalização portuguesa. Tal lugar, passou a ser conhecido como o lugar do piquete.

Com o definhamento da força do bandeirismo, e com a abertura de novos caminhos para Minas Gerais, o comércio valeparaibano diminui consideravelmente, fazendo com que nas Vilas e Freguesias se instalassem engenhos de açúcar e aguardente, ocasionando um processo de urbanização na futuras cidade valeparaibanas.
Em 1788, em virtude do grande desenvolvimento da Freguesia de Nossa Senhora da Piedade do Guaypacaré, o Governador da Capitania de São Paulo, Bernardo José de Lorena, eleva-à a categoria de Vila, dando-lhe o nome de Lorena. A extensão da nova vila abrangia as terras do atual município de Piquete.

No final do séc. XVIII, o café começou a ser cultivado no vale do paraíba, sendo seu cultivo adotado desde as regiões beira-rio até as serranas. As regiões serranas receberam seus tratores e fazendas se formaram em plena serrania.

O café trouxe à estrada da Serra do Itajubá grande movimento de comércio, e consequentemente, o bairro do Piquete crescia, aparecendo pela primeira vez na lista da 7ª Companhia das Ordenanças da Vila de Lorena, descrevendo-se com 63 casas, 303 habitantes livre e 123 escravos. O café proveniente do bairro do piquete representava a maioria da produção cafeeira da Vila de Lorena.

Pelo motivo dos moradores de Piquete serem muito religiosos, em 1888 foi criada a paróquia de Piquete, sendo permitida a construção de uma capela invocada a São Miguel. Com o surgimento da República, o governador de São Paulo, Prudente de Morais dissolve as Câmaras Municipais, indicando intendentes para cada cidade. Em nosso caso Lorena teve o Ten. José Mariano Ribeiro da Silva, tal acontecimento trouxe a Piquete um nosso impulso de progresso.

Com a mudança de governador do estado, devido à grande afinidade com Cel. Mariano, em 17 de maio de 1891 Piquete foi elevada a Vila a Freguesia de São Miguel do Piquete.
O Ten. José Mariano, despede-se de política lorenense, nomeando no dia 15 de junho a 1a Intendência Piquetense com elementos por ele indicados. Após várias tentativas vãs lorenenses de revogar o decreto que elevou Piquete a Vila, o Congresso Nacional em última instância convalidou a autonomia de Piquete como Vila Vieira do Piquete. No governo de Campos Sales o Ministro da Guerra, Mal. Mallet, propôs a criação de uma fábrica de pólvoras sem fumaça e também um sanatório militar em local retirado e saudável.
Em fevereiro de 1902 o Barão da Bocaina convida o Mal. Mallet para encolher o local de construção do sanatório. Para isso era necessária a existência de uma estrada de ferro, que veio a se concretizar em 1904 com a vinda do posterior Ministro, Mal. Argolo, definindo também o local para a construção da futura fábrica de explosivos, que para isso, em 1905, foram adquiridas as Fazendas de Café Sertão, Estrela do Norte e Limeira.
Através do Decreto Estadual n° 1033, de 19 de dezembro de 1906, a Vila Vieira do Piquete é elevada a cidade com o nome de Vila do Piquete, posteriormente, Piquete. Após isso, Piquete passou a desenvolver-se de forma autônoma e segura até os dias de hoje.

Significado do Nome

A palavra piquete significa corpo de tropas de soldados que formam guarda avançada ou porção de tropa a cavalo.

Aniversário da Cidade 15 de Junho

Fundação 15 de junho de 1891

Gentílico piquetense

Administração

Prefeita: ANA MARIA DE GOUVEA

Economia

Indústria e pecuária

TURISMO

Principais Pontos Turísticos

Pico dos Marins

Á 2.422 m de altitude,localizado no bairro de mesmo nome,de fácil acesso por trilhas do alto do qual se descortina quase todo o vale do Paraíba e parte do sul de Minas Gerais.

Pico do Ataque

Estrada panorâmica que dá acesso a Campos do Jordão.

Cachoeira do Jaracatiá

Grande queda dagua do rio de mesmo nome no bairro do Mendanha e várias outras cachoeiras de menor porte.

Estação Ferroviária Rodrigues Alves

Prédio em estilo eclético de padrões europeus comuns à época, inaugurado em 15 de setembro de 1906 , juntamente com o Ramal Férreo Lorena - Benfica, pelo então Ministro da Guerra Marechal Francisco de Paula Argolo e por Washington Luiz, Secretário da Justiça do Estado de São Paulo. Prédio nonagenário, rico em detalhes possui lambrequim acompanhando todo beiral dos telhados. Na massa de revestimento foram feitos trabalhos em relevo. Nos cantos, imitando estrutura em cantaria, colunas dentadas. Sobre as portas e janelas, relevo em formato de cunha, como se houvessem tijolos, suportando as vergas. 
Pórtico da Fábrica Presidente Vargas

Majestoso pórtico erigido na antiga entrada principal da Zona Militar. Concepção artística do Prof. Antônio Cesar Doria, inaugurado em 19 de novembro de 1955, pelo Cel. Edgar de Abreu e Lima, seu idealizador. Apresenta o monumento quatro painéis decorativos medindo 5,10m x 3,20m com alegorias em baixo relevo representando a Pátria Brasileira, as Classes Armadas, a Fábrica Presidente Vargas e a Técnica, sendo os dois primeiros voltados para a cidade de Piquete, e outros voltados para a zona militar. Também são apresentados três medalhões em cada uma dessas faces, na parte superior, um de 1,60m de diâmetro representando as Armas da República e outros dois de 2,20m com os retratos do Presidente Rodrigues Alves e do Ministro da Guerra, Marechal Francisco Argolo. Logo abaixo dos medalhões encontra-se o nome da Fábrica Presidente Vargas. Possui, o monumento, além disso, um mastro de 6,1m, somando o total de 20m de altura.

Praça Duque de Caxias

Projeto do Tenente Coronel José Pompeu Monte, a Praça Duque de Caxias foi inaugurada no dia 9 de novembro de 1952. No complexo que engloba praça, ainda se encontra, já desativado, o cinema da cidade, Cine Estrela do Norte e o Grêmio Duque de Caxias (Elefante Branco). A praça representa hoje, um ponto de encontro dos habitantes da cidade de todas as idades, sendo ela também palco de manifestações cívicas e culturais

Cachoeira do Jaracatiá

É tida como a maior cachoeira de Piquete devido a sua extensa queda (200m), localizada no Bairro Mundo Novo.

Igreja de São Miguel das Almas

Antiga Matriz de São Miguel. Construção centenária, em estilo clássico, eregida em 1891, foi a primeira edificação religiosa da cidade de Piquete invocada a São Miguel Arcanjo. Permaneceu como Matriz da cidade até a construção da nova Sede da Paróquia.

Antigo Hospital da Fábrica Presidente Vargas

Construção Majestosa datada da década de 40, construída para abrigar o Hospital Militar da Fábrica Presidente Vargas. Complexo inaugurado em 28 de agosto de 1948 pelo então Presidente da República Gen. Eurico Gaspar Dutra.

Fazenda Fortaleza

Fazenda formada no século XVIII, localizada no Bairro das Posses, pertenceu ao Visconde de Guaratinguetá, servindo de casa de repouso para doentes e parturientes da família do Visconde e amigos. Importante Fazenda, foi ela a primeira casa rural da região a possuir um sistema de água encanada, sendo ele todo feito de cobre. Fortaleza chegou a ter duzentos escravos registrados como moradores. No Ciclo do Café, foi grande produtora do mesmo, destacando-se entre as fazendas da região. Conserva hoje, prédios da época de sua formação, como a sede da Fazenda, nobre casarão com mais de duzentos anos.

Fazenda Santa Lídia

Fazenda localizada no Bairro Itabaquara, próximo à BR-459. Datada do século XVIII, possui em suas instalações, além da sede muito bem conservada, uma senzala em estado original com objetos da época. Também podem ser encontradas roda-dágua, terraço de café, ruínas de construções seculares e um trecho de estrada calçada por escravos, sendo que esta liga a sede da fazenda a uma mina de talco, hoje desativada.

Fazenda Santa Inês

Fazenda localizada no Bairro dos Marins, com acesso pelo trevo do Bairro Itabaquara ou pela Rodovia Cristiano Alves da Rosa. Santa Inês foi construída por padres. Abriga Casa de Máquinas, construções do século XIX e abundante beleza natural ao seu redor. Ao lado temos a vista de sua Sede.

Outros Pontos de Interesse Turístico 

- Cachoeira das Andorinhas - Bairro do Mundo Novo
- Cachoeira Véu de Noiva
- Cachoeira da Edite - Bairro dos Marins
- Cachoeira Água da Prata
- Pico dos Marins - 2421 m
- Pico Ataque - 2030 m
- Pico do Cabrito - 1817 m
- Pico Focinho de Cão - 1767 m
- Pico da Meia Lua - 1615 m

HOTEL

http://www.hotelinsite.com.br/procura/resultado.asp?cid=piquete

Site

http://www.piquete.sp.gov.br/index.php

fontes

http://pt.wikipedia.org/wiki/Piquete

 
MAIS SOBRE Piquete:
 
Deixe seu Comentário
 
 
COMETÁRIOS SOBRE Piquete:
 
29/09

A VERDADEIRA HISTÓRIA DE PIQUETE: SINÔNIMO DE CURRAL DE PEDRA, MANGUEIRO, POTREIRO, UM TRADIÇÃO MILENAR NA AMÉRICA ESPANHOLA E AMÉRICA PORTUGUESA EM PARTICURAR NESSAS PARAGENS QUE JÁ FORA DENOMINADA COMO, AS VEREDAS DAS BRUMAS DAS TERRAS ERMAS, NO SERTÃO DA MANTIQUEIRA, NAS CINCO SERRA ALTAS DO ROTEIRO DE ANDRE JOÃO ANTONIL, PRIMEIRO ROTEIRO TURISTICO ESCRITO SOBRE O BRASIL OBRA PÚBLICADA EM 06 DE MARÇO DE 1711, ESTAMOS NO CAMINHO VELHO, ESTAMOS NO ORIGINAL CAMINHO DO OURO, ESTAMOS NO CAMINHO CERTO! BLOG PÉ NO TRECHO http://migre.me/5NTAX

Enviado por Sérgio dos Santos às 09h52
 
Seções: A01 - Est. Turísticas | A02 - Est. Balneárias | A03 - Est. Climáticas | A04 - Est. Hidrominerais | C01 - Bauru | C02 - Campinas | C03 - Itapetininga | C04 - Mogi das Cruzes | C05 - Presidente Prudente | C06 - Ribeirão Preto | C07 - Santos | C08 - São Carlos | C09 - São José do Rio Preto | C10 - São José dos Campos | C12 - Sorocaba | C13 - Taubaté | D - MÚSICAS | E - BLOG DO JOÃO |
Portal: Inicial | Quem Somos | Como Anunciar | Fale Conosco | Enviar Email |

© Interior SP - Cidades. Todos os Direitos Reservados.

Desenvolvimento: UPWEB Internet Solutions