Busque sua Cidade
 
Inicial
 
Seções
A01 - Est. Turísticas
A02 - Est. Balneárias
A03 - Est. Climáticas
A04 - Est. Hidrominerais
C01 - Bauru
C02 - Campinas
C03 - Itapetininga
C04 - Mogi das Cruzes
C05 - Presidente Prudente
C06 - Ribeirão Preto
C07 - Santos
C08 - São Carlos
C09 - São José do Rio Preto
C10 - São José dos Campos
C12 - Sorocaba
C13 - Taubaté
D - MÚSICAS
E - BLOG DO JOÃO
 
Portal
Quem Somos
Como Anunciar
Fale Conosco
Enviar E-mail
 
Guarujá

Atualmente, o Guarujá é conhecido como a "Pérola do Atlântico" devido as suas belas praias e belezas naturais. Muito procurada pelos turistas na alta temporada, a cidade conta com praias urbanizadas e alguma selvagens, acessíveis apenas por trilhas. Além do litoral, Guarujá oferece construções históricas e trilhas de ecoturismo. Outra atração local é a pesca artesanal, que pode ser vista e praticada em diversas praias do município.

Guarujá é um dos quinze municípios paulistas considerados estâncias balneárias pelo estado de São Paulo, por cumprirem determinados pré-requisitos definidos por Lei Estadual. Tal status garante a esses municípios uma verba maior por parte do Estado para a promoção do turismo regional. Também, o município adquire o direito de agregar junto a seu nome o título de estância balneária, termo pelo qual passa a ser designado tanto pelo expediente municipal oficial quanto pelas referências estaduais.

Município localizado na Ilha de Santo Amaro, Guarujá possui 18,32 km de litoral, divididos em 15 praias urbanizadas com completa infra-estrutura de lazer. Conhecida como A Pérola do Atlântico tem atraído número cada vez mais crescente de turistas anualmente que deixam suas estradas congestionadas principalmente durante o verão, finais de semana e feriados. Sua Padroeira é Nossa Senhora de Fátima.

Geografia

Guarujá é um município  do estado de São Paulo, na Região Metropolitana da Baixada Santista, microrregião de Santos, localizado na latitude  sul 23º 59' 18" e longitude W (oeste) 46º 14' 32", a uma altitude de 4,27 m. A população estimada em 2008 era de 304 274 habitantes.  Possui uma área de 142,7 km², o que resulta numa densidade demográfica  de 2 076,94 hab/km². É a terceira maior ilha do litoral do estado de São Paulo.

Demografia

Dados do Censo - 2000

* População total: 296.368 (2005)

o Urbana: 264.733

o Rural: 79

o Homens: 130.875

o Mulheres: 133.937

* Densidade demográfica (hab./km²): 1855,73

* Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 18,38

* Expectativa de vida (anos): 69,93

* Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,32

* Taxa de alfabetização: 91,55%

* Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,788

o IDH-M Renda: 0,730

o IDH-M Longevidade: 0,749

o IDH-M Educação: 0,885

COMO CHEGAR

Saindo de São Paulo, basta pegar o sistema Anchieta - Imigrantes, descer a serra e pegar a saída para a rodovia PIAÇAGUERA - GUARUJÁ ( Rodovia Cônego Domênico Rangoni), a partir de um entroncamento da Via Anchieta no Município de Cubatão. Vindo de Mogi das Cruzes, basta descer a serra pela rodovia MOGI-BERTIOGA, pegar a rodovia RIO-SANTOS, em sentido a Santos até a PIAÇAGUERA.Para quem vem de ônibus, o Terminal Rodoviário do Jabaquara em São Paulo possui uma linha direta para a rodoviária do Guarujá. Pode-se pegar também um ônibus que vai para a Ponta da Praia em Santos, pois de lá, basta fazer a travessia para o Guarujá através das barcas existentes ns ponta da Práia

Localização

Município Insular do Litoral Sul do Estado de São Paulo.

Limites

Norte – Santos (através do estuário de Santos)

Sul e Leste - Oceano Atlântico.

Acesso Rodoviário

Via Imigrantes (SP -160)

Via Anchieta (SP - 150)

Que se ligam na Rod. Piaçaguera-Guarujá

Distâncias

São Paulo: 87 Km

Santos: 13 Km

Bertioga: 30 Km

Cubatão: 32 Km

São Sebastião: 122 Km

Aeroporto Inter. de Guarulhos:113 Km

História

Logo que o Brasil foi descoberto, ficou praticamente abandonado, pois o interesse maior de Portugal eram as Índias, e também descobrir o maior número de colônias possíveis para ganhar a CORRIDA MARÍTIMA com a Espanha, porque as duas eram grandes potências da época. Abandonado, o Brasil ficou sem nenhuma proteção dando margem para os corsários ingleses e franceses que segundo alguns, já conheciam o território brasileiro por causa do pau-brasil.

Quando o rei de Portugal certificou-se deste fato, mandou expedições para guardar a costa brasileira, mas, como não obteve êxito, enviou uma expedição colonizadora e é nesse momento, que começa a história de Guarujá, ou melhor, Ilha de Santo Amaro, no século XVI, por volta de 1.502. Nesse ano, uma armada, comandada por André Gonçalves e Américo Vespúcio, ancorou, a 22 de janeiro daquele ano, na costa ocidental da Ilha de Guaibê (mais tarde denominada Santo Amaro), nas proximidades da Praia de Santa Cruz de Navegantes. Na ilha fronteiriça fundaram o Porto de São Vicente (Porto das Naus).

A Ilha de Santo Amaro (primitivamente denominada Guaíbe ou Guaibê) foi doada a Pero Lopes de Souza em 1.534 pelo rei de Portugal, D.João III, para que fosse colonizada e cuidada. Como oferecesse poucas condições de fixação ao homem, em virtude de seu relevo montanhoso e de difícil acesso, ficou abandonada, habitada apenas por indígenas e alguns colonos.

O nome da Ilha - SANTO AMARO - teve origem no nome da capitania que também abrangia toda a extensão da ilha e terras vizinhas, limitadas pela Capitania de São Vicente. Alguns afirmam que a ilha só passou a ser chamada efetivamente Ilha de Santo Amaro a partir da construção da Capela de Santo Amaro, localizada pouco atrás da Fortaleza da Barra Grande, construção essa realizada por José Adorno em 1.540.

A partir da construção da Capela de Santo Amaro, a ilha passou a ser ocupada por jesuítas, na catequese de pequenos grupos indígenas e nela foram construídos vários fortes e fortalezas para a defesa do litoral. Nessa época, foi instalada também uma indústria colonial de óleo de baleia, situada no extremo norte da ilha, próximo ao povoamento onde hoje está o município de Bertioga.

Até meados do século XIX, a Ilha de Santo Amaro era ocupada por vários sítios onde, no tempo da escravidão, eram escondidos negros contrabandeados da África.

Em 1.892, a Companhia Prado Chaves instalou a Companhia Balnearia da Ilha de Santo Amaro, com o objetivo de fundar a Vila Balnearia de Guarujá. Para isso foram encomendados dos Estados Unidos 01 hotel, 01 igreja, 01 cassino e 46 residências, desmontáveis e construídos em pinho da Geórgia. Uma estrada de ferro passou a ligar o Estuário de Santos à nova Vila. Duas barcas possibilitavam o transporte de passageiros da estação da Estrada de Ferro Santos-Jundiaí (em Santos) ao atracadouro do Balneário, em Itapema.

A Vila foi inaugurada em 2 de setembro de 1.893, pelo Dr. Elias Fausto Pacheco Jordão, tendo comparecido a esse evento inúmeras autoridades e personalidades da sociedade paulista, entre elas o Governador do Estado, Bernardino de Campos. Nicola Puglisi sucedeu o Dr. Elias Fausto Pacheco Jordão na presidência da Companhia Balnearia até 1.926, quando Guarujá foi transformada em Prefeitura Sanitária, sendo nomeado o Sr. Juventino Malheros seu primeiro prefeito.

Em 1.931, Guarujá foi integrado ao Município de Santos, situação que perdurou até 1.934. Pelo Decreto 1.525, de 30 de junho de 1.934, o Governador Armando Salles de Oliveira criou a Estância Balnearia de Guarujá, nomeando o Dr. Cyro de Mello Pupo, seu prefeito.

Até 1.947, Guarujá foi administrada por prefeitos nomeados quando, pela Lei Orgânica dos Municípios, promulgada em 18 de setembro de 1.947, passou a Município, ocorrendo, então, a primeira eleição para o período de 1.948 a 1.951, sendo eleito o Sr. Abílio dos Santos Branco para o cargo de prefeito.

Em 1.953, a antiga Vila Itapema passou a Distrito, recebendo o nome de Vicente de Carvalho, em homenagem ao poeta santista.

Conhecida internacionalmente por suas belezas naturais, pelas praias e paisagem sofisticadas, Guarujá atrai milhares de turistas e, dia a dia, confirma seu codnome, A Pérola do Atlântico.

Aniversário: 30 de junho

Fundação: 2 de setembro de 1893

Gentílico:guarujaense

 

Administração

Prefeita:    MARIA ANTONIETA DE BRITO

 

Economia

A economia da cidade do Guarujá esta baseada no turismo, no porto, na indústria, na pesca, no comércio e nos serviços. As empresas do setor portuário de Guarujá estão localizadas na margem esquerda do Porto de Santos, o maior da América Latina e o principal do país, e que movimenta aproximadamente 25% do comércio exterior brasileiro.

As principais cargas movimentadas na cidade são: contêineres, veículos, açúcar, suco de laranja, fertilizantes, soja, milho, farelos em geral e produtos químicos e chegam até os nossos terminais nos modais rodoviário, ferroviário e marítimo, estes terminais portuários estão localizados no Distrito de Vicente de Carvalho, onde também se pode conhecer a Avenida Thiago Ferreira, que detém o segundo maior comércio varejista da Região Metropolitana da Baixada Santista.

No setor pesqueiro, a cidade possui a maior comunidade de pesca artesanal do Estado de São Paulo. Na região do Perequê, além de avistar inúmeros barcos atracados à beira mar, é possível comer deliciosos frutos do mar nos restaurantes localizados na avenida da praia.

O segmento de alimentos e bebidas vem destacando a variedade da nossa culinária e buscado firmar-se como importante Pólo Gastronômico do Estado. A Hotelaria, com seus mais de 9000 leitos, oferece ao turista opções para todos os gostos e todas as idades.

O segmento náutico é referência em todo Estado e gera mais de 3000 mil empregos diretos e possui mais de 1000 vagas para embarcações até 120 pés. A busca da melhoria constante e a realização de importantes obras viárias e de infra estrutura faz de Guarujá um importante destino para investimentos nas diversas áreas econômicas.

 

Turismo

Guarujá: Mais conhecido como balneário de classe internacional, graças a beleza de suas praias, também apresenta notável riqueza de tradições e manifestações folclóricas.

Define-se o folclore como ciência que estuda os fatos da cultura material e espiritual criados ou adaptados pelos meios populares. Neste sentido, o Folclore de Guarujá vem sendo pesquisado, desde 1968, pela Comissão Municipal de Folclore e Artesanato e a Associação de Folclore e Artesanato de Guarujá, com divulgação através do Departamento de Turismo da Prefeitura Municipal. O evento mais tradicional desta divulgação é o Festival de Folclore de Guarujá, realizado no mês de agosto, em 1996 já pela 24ª vez, e que, aliás consta do Calendário Oficial de Eventos da Secretaria de Turismo de Estado de São Paulo. A programação dos Festivais inclui apresentações de artefatos do artesanato autêntico regional bem como confeccionados por escolas e populares; danças, músicas e cantos caiçaras; concursos de brinquedos folclóricos, narrativas de contos populares; plantas medicinais; palestras sobre temas do folclore bem como a comemoração do Dia Universal do Folclore em 22 de agosto. A realização dos Festivais conta com a participação de escolas estaduais, municipais e particulares e apoio dos Departamentos Municipais de Educação e Cultura. Nesta oportunidade ainda se realiza o lançamento da Revista FOLCLORE, publicação da Associação de Folclore e Artesanato de Guarujá, que há 21 anos divulga o Folclore da Ilha de Santo Amaro no Brasil e no Exterior.

A Exposição de Presépios, destinada a manter viva a tradição de armar presépios, se realiza há 19 anos no mês de dezembro, com a participação da comunidade, escolas, terreiros e particulares.

O Dia do Zumbi, 20 de novembro, já foi celebrado pela segunda vez pela Comissão Municipal de Folclore com a participação dos Departamentos de Turismo de Educação, de Associações de Capoeira e da Associação Brasileira da Terceira Idade - ABRASTI.

Guarujá conta com apreciável riqueza de grupos folclóricos autênticos, em particular o Pau de Fita de Santa Cruz dos Navegantes, Reisado e Bumba-meu-Boi de sergipanos radicados no Guarujá, Conjunto de Seresteiros da ABRASTI e Chorinho Quadra e Az de Dilermano, em Vicente de Carvalho. A Folia de Reis da Praia do Tombo desapareceu, infelizmente, com o falecimento de seus principais integrantes, mas um grupo na Vila Santa Rosa vem revivendo esta tradição.

Desde 1974, a prática da Capoeira deitou raízes em Vicente de Carvalho, com as Associações de Mestre Sombra, Mestre Sombrinha, Pedrinho e muitos outros que ministram cursos e se apresentam em festividades folclóricas em Guarujá.

O Carnaval de Guarujá tem sido organizado e divulgado pelo Departamento de Turismo e merece particular atenção e ajuda de custo da Prefeitura Municipal. O desfile das Escolas de Samba e Blocos se realiza no centro de Vicente de Carvalho, distrito de Guarujá.

Os Festejos Juninos organizados pelo Departamento de Turismo são celebrados a partir de 12 de junho, véspera de Santo Antonio. Em 23 e 24 de junho, em homenagem a São João, são apresentadas quadrilhas, comidas típicas e muitos fogos de artifício. O dia de São Pedro é particularmente festejado pelos pescadores e caiçaras.

Entre as manifestações de Religiosidade Popular cabe mencionar o Dia de Santo Amaro, protetor de Guarujá, festejado em 15 de janeiro com procissão, missa e shows populares organizados pela Paróquia Nossa Senhora de Fátima e Santo Amaro e os Departamentos de Turismo e Cultura. A procissão de Corpus Christi, em junho, desperta grande interesse entre população e turistas. Entidades, escolas e particulares enfeitam as ruas onde passará a procissão. A Procissão Marítima de São Pedro, em 29 de junho, na Praia do Perequê, é atração turística. Os barcos de pescadores, enfeitados e levando a imagem de São Pedro, saem da Praia do Perequê, seguem até a altura da ermida dedicada a Nossa Senhora e retornam à praia, onde festejos, brinquedos folclóricos como o Pau de Sebo, e comidas típicas são oferecidos a um numeroso público. A Procissão Marítima de Santa Cruz dos Navegantes costumava ser realizada todos os anos em 15 de agosto. Entretanto, depois do desastre o corrido com o Bateau Mouche no Rio de Janeiro, a Capitania dos Portos proibiu a saída desta procissão, alegando falta de segurança dos barcos e dificuldades que acarretava à passagem de navios.

Os Centros de Candomblé e Umbanda realizam festividades em datas preestabelecidas. A festa de Iansã no Candomblé Ilê Oio Ya, de Pai Bobó, tradicional e de ritual Ketu, é celebrada em 18 de setembro e tem sido prestigiada pela Comissão de Folclore. Outras festas são realizadas na Tenda Afro-Brasileira Oia Dele, de Maria Helena e no Terreiro Sete Pedras Brancas, de Mãe Catita. Batem para seus orixás e santos, principalmente Cosme e Damião, em 27 de setembro

Principais Pontos Turísticos

Artesanato

No encontro com as artes, salienta-se o artesanato da região pela variedade de opções e materiais, tais como: cobre, tábua, taquara, cipó, sisal, barro cozido e cru, madeira, latão, raízes de árvores, conchas, ferro, argila, metal, vidro e outros, produzidas com muita arte e personificação, geralmente em pequenas oficinas de artesãos.

Para exteriorizar o trabalho desses artesãos, há exposições em locais como:

Centro Municipal de Cultura, na Praça do Artesanato (final da Av. Puglisi); na Praça de Artes Plásticas

Quiosque do Artesanato (Praça da Bandeira); no quilômetro 5,5 da Via Guarujá-Bertioga (entalhes em madeira, cerâmica e barroco primitivo).

Capelas

Capela dos Escravos - na Praia do Perequê.

Capela Santa Cruz dos Navegantes - Na Praia da Pouca Farinha, junto à entrada da barra, restaurada pelo Instituto Histórico e Geográfico Guarujá-Bertioga e pelo Conselho Municipal de Turismo do Guarujá. Em agosto de 1964 reviveu-se a tradicional procissão de barcos em louvor à Nossa Senhora dos Navegantes, sendo celebrada na ocasião a primeira missa em português cantada no Brasil.

Ermida Santo Antonio de Guaibê

Na Ponta da Armação, Bertioga onde ao lado existem os reservatórios de óleos cetáceos A Armação das Baleias. Nos séculos XVII e XVIII , este óleo iluminou São Paulo e o Rio de Janeiro, desta Ermida e dos Tanques só existem ruínas.

Forte São João da Bertioga

Indo-se da ilha, pelo canal da Bertioga, visita-se então o pequeno Museu quinhentista João Ramalho, restaurado e mantido pelo Instituto Histórico e Geográfico Guarujá-Bertioga. Este é o Forte mais antigo do Brasil ainda conservando suas primitivas características.

Comércio

O comércio em todo o município, especialmente no centro da cidade, opera em regime de atendimento especial, normalmente nos fins de semana, quando o afluxo de visitantes é muito mais acentuado, não sendo exceção nos períodos de grandes e mais prolongadas temporadas. Nestas, é comum que os serviços de supermercados, padarias, farmácias, lojas e boutiques se estendam até as 22 h., às sextas feiras e sábados, estes estabelecimentos operam até as 22 h. Em qualquer das ocasiões atuam também aos domingos, com exceção dos supermercados. No promissor Distrito de Vicente de Carvalho, o comércio funciona aos sábados até as 18 horas.

O comércio varejista, mais típico no centro da cidade, ocupa grande parte deste, sobretudo nos setores de alimentação (supermercados, panificadoras, bares, lanchonetes, sorveterias etc.); confecções e artesanatos, onde despontam luxuosas boutiques e casas especializadas, na área dos calçadões; os serviços profissionais diversos; o atendimento bancário; prestadores de serviços diversos. Até alguns hotéis atuam no centro da cidade, onde se observa a função residencial, convivendo com o fervilhar comercial.

Passeios

Pavilhão da Maria Fumaça

Exposição da antiga locomotiva Maria-Fumaça que ligava Vicente de Carvalho e Guarujá, desativada em 1956. Localiza-se na avenida Leomil esquina com Av. Puglise, na Praia de Pitangueiras.

Morro do Maluf

Agradável passeio de cujo o topo se tem ampla vista da cidade, localizado entre as praias das Pitangueiras e Enseada.

Forte dos Andradas

A Brigada de Artilharia Antiaérea, permite hoje a entrada nas dependências do Forte, onde se pode fazer um maravilhoso passeio ecológico, com acesso aos antigos canhões e túneis que serviam para transportar munição, além de oferecer uma magnifica vista tanto do Guarujá como da baia de Santos. Situado fim da praia do Tombo, o passeio pode ser feito nos finais de semana e feriados não chuvosos.

Morro da Península

Local de paisagem exuberante, fica entre a praia da Enseada e o Costão das Tartarugas.

Parque de Diversões

Localizado na Praia das Pitangueiras, perto do shopping LaPlage, oferece brinquedos para todas as idades.

Trenzinho

Faz um mini passeio turístico pelas imediações da Praia das Pitangueiras, tem sua parada na Praia das Astúrias.

Feiras de Artesanato

Agradável mostra de artesanato e bijouterias, localizadas nos seguintes endereços: Av. Miguel Stéfano com R. Marivaldo Fernandes (início da Enseada); Av. Puglisi com Av. Mal. Deodoro da Fonseca (Praia de Pitangueiras) e Av. Gal. Rondon (próximo Colônia de Férias do BANESPA - Praia das Astúrias).

Passeio de Escuna

Passeio diário com duração de 6 horas, saída do Canal da Bertioga informação com Castro

Folclore

O folclore que representa a melhor expressão do Saber Popular, preserva e retrata os costumes tradicionais de um povo. Em Guarujá, essas manifestações estão muito arraigadas nos vários segmentos da sociedade, através de suas festas e especialmente de suas crenças.

As festas mais marcantes têm seu cunho religioso e se caracterizam por procedimentos diferenciados. Por exemplo, as procissões marítimas: uma é realizada no dia 29 de junho (Dia de São Pedro), na Praia do Perequê; outra, no dia 15 ou 16 de agosto, na Praia de Santa Cruz dos Navegantes. Afora a liturgia, causa emoção a impressionante participação dos barcos adornados para a procissão. Os festejos juninos, por outro lado, têm um vasto programa de comemorações em toda a ilha, começando a 15 de junho e se estendendo até meados de julho, em meio a temporada de férias. Esse programa se desenvolve especialmente em Vicente de Carvalho, na Vila Zilda e Vila Santa Rosa. É promovido pela Prefeitura. Como outras manifestações de cunho folclórico são as festas de Folia de Reis, a Capoeira, o Pau de Fita, Iansã, Omulu, Reisado Bumba-meu-Boi, Forrós, Grupo de Chorinhos e Conjuntos de Serenata, além de outras.

Pesca

Pesca Artesanal

Uma de nossas grandes atrações é a Pesca Artesanal, onde pessoas de Guarujá, Santos e também turistas aproveitam para praticar com seus caniços e varas.

Os principais lugares que encontramos em Guarujá, para este tipo de atividade, são:

Praia do Guaiúba;

Costão das Tartarugas;

Ponta das Galhetas;

Morro do Maluf;

Praia do Perequê;

Margens do Canal da Bertioga.

Praias

Guaiúba

Com 250 metros de extensão, durante muito tempo foi o paraíso dos turistas de finais de semana. É considerada uma das mais belas praias do Guarujá, com destaque para a sua rica vegetação.

Praia das Astúrias

Com 1.000m de extensão, tem como principal característitica os barcos de pescadores e  barracas de venda de pescados. Excelente para banho, possibilita ainda admirar admirar as praias de Pitangueiras e Enseada.

Praia da Enseada

É a mais enxtensa da cidade possuindo 7km. Logo no seu início destaca-se o Morro da Campina, mais conhecido como Morro do Maluf. A praia é muito frequentada por banhistas e adeptos de esportes. À noite é o ponto mais procurado turistas devido a restaurantes e bares agitados.

Praia de Pernambuco

Localiza-se após a Praia da Enseada. É bonita e possui uma área de 1.500m de extensão. A praia é muito conhecida pela frequência de artistas e ponto de parada das embarcações de passeio.

Perequê

Possui 2.200m de extensão. Acolhedora e muito popular é considerada o reduto dos pescadores. É lá que podemos encontrar o autêntico caiçara de nosso litoral. Nessa praia o turista pode ver a puxada de rede e logo após saborear uma variedade de frutos do mar.

Santa Cruz dos Navegantes

(Pouca Farinha)

Até pouco tempo era desconhecida até mesmo dos moradores da cidade. Com a abertura de uma estrada para o bairro, o turista acabou descobrindo um outro ponto turístico de Guarujá. A vila é de população carente, mas o segredo está no baluarte da Baixada Santista, que é a fortaleza da Barra Grande.

Praia do Góes

Com 250m de extensão é formada por uma colônia de pescadores. Trata-se de uma pequena ilha de águas mansas. O acesso é feito por embarcação através da Ponte dos Práticos, em Santos.

Praia do Monduba

Praia de areias finas e brancas e águas em permanente tom de esmeraldas. Ali, o engenheiro João Monteiro de Barros projetou o Forte dos Andradas. É somente permitido visitação de turistas para a realização de passeio ecológico.

Praia do Tombo

Com 856m de extensão seu nome deriva de sua conformação geológica. Possui mar bravo e provoca tombos inesperados. É ótima para a prática de surf.

Praia de Pitangueiras

Com 1.800m de extensão é a praia central de Guarujá, onde deu-se o desenvolvimento inicial da ilha. É o local de maior concentração de turistas, em  razão do seu comércio. Anteriormente (década de 20 a 40), lá existia um hotel, um cassino, quiosques, piscinas. Foi nesse mesmo hotel que Santos Dumont, suicidou-se. É em Pitangueiras que podemos encontrar o único documento vivo da nossa história: a  Maria Fumaça, que no início do século fazia o trajeto Guarujá-Vicente de Carvalho.

Praia do Éden ou Sorocotuba

Possui 100m de extensão. Ainda sem grande afluência de banhistas, fica depois do Morro do Sorocotuba, entre a Enseada e Pernambuco. O acesso ao morro pode ser feito de carro, mas é necessário descer uma trilha para chegar à praia.

Praia do Mar Casado

Recebeu este nome porque quando a maré enche acontece a junção da praia, originando o que chamamos de mar casado. Trata-se de uma praia criada pela formação de baía. Possui 400 metros de extensão e possui uma beleza inigualável. A presença de banhistas não é muito frequente, pois a maré alta encobre o acesso à ilha, que só é possível na maré baixa

Fortalezas

Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande - está localizada na região sudoeste da ilha de Santo Amaro entre as praias do Góes e Santa Cruz dos Navegantes, às margens do estuário Santista. É um monumento histórico-militar edificado no século XVI durante o domínio espanhol com o objetivo de defender a Vila de Santos de ataques corsários de piratas.

São do século XVI as longas muralhas e cortinas de pedras em cantaris, guaritas, portões de acesso, paiol, casamata, plataformas de pedras para canhões. Apesar das infiltrações e da constante ação de depredadores que agem no local, podem tais edificações serem ainda apreciadas.

A capela e a Casa do Comandante foram reconstruídas e modificadas ao longo de mais de 400 anos. A capela até 1742 era a Casa de Pólvora (séc. XVIII).

A Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande teve seu tombamento em 1969 pela Secretaria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e em 1981 pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico Arqueológico, Artístico e Turístico (CONDEPHAT), órgão do Governo do Estado de São Paulo. Qualquer reforma precisa do aval da entidade.

A Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande, surgiu num lugar histórico, pois segundo os termos do diário de Pero Lopes, ali ancorou a esquadra colonizadora de Martin Afonso de Souza, em 1532 antes de entrar na Barra do Rio São Vicente. Essa fortaleza serviu no século XVII como presídio político dos oposicionistas da Coroa Portuguesa e em 1885 foi restaurada.

Foi desativada em 1911 e caiu em completo desuso e suas baterias foram transferidas para a Fortaleza do Itaipú, em Praia Grande.

A partir daí ficou abandonada, voltando a ser ocupada pelo Círculo Militar em 1960, época em que sofreu algumas modificações no piso, por exemplo, cobrindo a pedra com cerâmica. Daí em diante, nada se fez para a preservação desse monumento que foi se deteriorando não pela ação do tempo como também pela ação do homem. O abandono chegou a tanto que seus tijolos foram furtados, comprometendo seriamente um dos arcos de sustentação da fachada da Casa do Comandante da Fortaleza entre outras tantas depredações e invasões. Nessa ocasião (1990), houve no Guarujá uma movimentação da comunidade estudantil no sentido de chamar a atenção das autoridades competentes para com o estado lastimável em que se encontrava o próprio Nacional.

Forte dos Andradas

Foi projetado em 1934 pelo Tenente Coronel de Engenharia João Luís Monteiro de Barros. Criado pelo Decreto 4228 de 10 de abril de 1942 e inaugurado em 10 de novembro do mesmo ano, constituindo-se a principal defesa da entrada da baía de Santos ao sul da Ilha de Santo Amaro.

Inicialmente designado Forte do Monduba, em virtude da denominação da elevação na qual foi construído. Mais tarde, em 27 de novembro de 1942 recebeu a denominação de Forte dos Andradas, em homenagem aos irmãos José Bonifácio, Antônio Carlos e Martim Francisco que tiveram papel de destaque durante o período imperial.

Dotado de quatro obuseiros de 240 mm e um complexo e eficiente sistema de tiros, o forte dos Andradas encontra-se a uma altitude de 300 m do nível do mar, tendo como via de acesso uma estrada pavimentada perfeitamente conservada. Após percorrer-se uma distância de 2.000 metros de estrada, depara-se com um túnel cavado no alto do morro com cerca de 500 mts. de extensão no qual encontram-se câmaras e elevadores destinados ao transporte da munição para os obuseiros.

Atualmente, as instalações do Forte dos Andradas são conservadas pela 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea no Guarujá formando um exuberante ponto turístico.

Fortaleza de São Felipe ou São Luiz

Datada do século XVI, onde o famoso artilheiro alemão Hans Staden viveu parte de sua vida aventurosa durante 9 meses e quase sendo devorado pelos índios que o aprisionaram. Conseguiu livrar-se afinal, voltando à sua terra na qual escreveu um livro sobre as Estranhas terras das Américas, em 1557

EVENTOS

Fevereiro

Torneio Internacional de Tênis

Festival Nacional do Surf

Maio

Festa de Nossa Senhora de Fátima - Local: Igreja Matriz

Junho

Festa de São Pedro - Local: Praia do Perequê

Festas Juninas - Local: em todos os bairros

Festa de Corpus Christi - Local: em frente a Igreja Nossa Senhora de Fátima

Aniversário da cidade

Julho

Festival de Música Sertaneja - Local: Teatro Procópio Ferreira

Agosto

Procissão de Nossa Senhora dos Navegantes

Festival do Folclore

Festa de Capoeira

Candomblé do Pai Bobó

OBS: De 09 a 22 de agosto - 19º Festival do folclore e Artesanato do Guarujá em conjunto com o 5º Festival Internacional do Brasil

Local: Centro Guaibê

 

Site da cidade

http://www.guaruja.sp.gov.br

 

Fonte

http://citybrazil.uol.com.br/sp/guaruja/dados-gerais

http://www.ferias.tur.br/informacoes/9182/guaruja-sp.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Guaruj%C3%A1

http://www.guaruja.sp.gov.br/turista

 
MAIS SOBRE Guarujá:
 
Deixe seu Comentário
 
 
COMETÁRIOS SOBRE Guarujá:
 
14/01

FUI MUITO NA FAZENDA JAMBEIRO,SEU PROPRIETARIO NA EPOCA ERA O DONO DA MANA ADUBOS,GOSTARIA MUITO DE VER FOTOS DO LUGAR

Enviado por luciana rebordaos às 14h11
26/08

EU ADORO PEREIRA MIN EU ADORO ESSA CIDADE; SEMPRE QUE DA EU VOU VISITAR MINHA FAMILIA E REVER ALGUMAS PESSOAS QUE A CONEÇO

Enviado por REINILDA às 11h53
10/04

a praia do guaruja é muito legal,e os quiosques tem comidas otimas!

Enviado por leonardo às 10h08
09/04

ja fui em guaruja la tem praias lindas.

Enviado por guilherme às 14h39
 
Seções: A01 - Est. Turísticas | A02 - Est. Balneárias | A03 - Est. Climáticas | A04 - Est. Hidrominerais | C01 - Bauru | C02 - Campinas | C03 - Itapetininga | C04 - Mogi das Cruzes | C05 - Presidente Prudente | C06 - Ribeirão Preto | C07 - Santos | C08 - São Carlos | C09 - São José do Rio Preto | C10 - São José dos Campos | C12 - Sorocaba | C13 - Taubaté | D - MÚSICAS | E - BLOG DO JOÃO |
Portal: Inicial | Quem Somos | Como Anunciar | Fale Conosco | Enviar Email |

© Interior SP - Cidades. Todos os Direitos Reservados.

Desenvolvimento: UPWEB Internet Solutions