Busque sua Cidade
 
Inicial
 
Seções
A01 - Est. Turísticas
A02 - Est. Balneárias
A03 - Est. Climáticas
A04 - Est. Hidrominerais
C01 - Bauru
C02 - Campinas
C03 - Itapetininga
C04 - Mogi das Cruzes
C05 - Presidente Prudente
C06 - Ribeirão Preto
C07 - Santos
C08 - São Carlos
C09 - São José do Rio Preto
C10 - São José dos Campos
C12 - Sorocaba
C13 - Taubaté
D - MÚSICAS
E - BLOG DO JOÃO
 
Portal
Quem Somos
Como Anunciar
Fale Conosco
Enviar E-mail
 
Iguapé

Iguape é um município brasileiro do estado de São Paulo. Iguape é um dos 15 municípios paulistas considerados estâncias balneárias pelo Estado de São Paulo, por cumprirem determinados pré-requisitos definidos por Lei Estadual. Tal status garante a esses municípios uma verba maior por parte do Estado para a promoção do turismo regional. Também, o município adquire o direito de agregar junto a seu nome o título de Estância Balneária, termo pelo qual passa a ser designado tanto pelo expediente municipal oficial quanto pelas referências estaduais.

Geografia

Iguape possui uma área de 1.980,916 km², sendo assim o maior município do estado de São Paulo em área. Abriga também as Áreas de Relevante Interesse Ecológico Ilha Ameixal, de 400 hectares, localizada no rio Una do Prelado, criada pelo Decreto n.º 91.889 de 05 de novembro de 1985, parte da Zona de Vida Silvestre - APA Federal Cananeia-Iguape-Peruíbe, criada pelo decreto n.º 90.347 de 23 de outubro de 1984 e complementada pelo decreto nº 91.892 de 06 novembro de 1985,  e parte da ZVS - APA Ilha Comprida, criada pelo decreto n° 26.881, de 11 de março de 1987 e regulamentada pelo decreto n° 30.817, de 30 de novembro de 1989.

Demografia

Dados do Censo - 2000

População total: 27.427

* Urbana: 21.934

* Rural: 5.493

* Homens: 13.996

* Mulheres: 13.431

Densidade demográfica (hab./km²): 13,84

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 22,10

Expectativa de vida (anos): 68,20

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 3,00

Taxa de alfabetização: 90,18%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,757

* IDH-M Renda: 0,688

* IDH-M Longevidade: 0,720

* IDH-M Educação: 0,864

COMO CHEGAR

Localização

Município da Região do Litoral Sul do Estado de São Paulo.

Limites

Cananéia, Itariri, Juquiá, Miracatú, Pariquera-Açu, Peruíbe, Registro.

Acesso Rodoviário

Rodovia Federal Régis Bittencourt – BR 116

Rodovia Estadual Prefeito Casimiro Teixeira – SP-222

(via Rodovia Régis Bittencourt – São Paulo/Iguape)

Rodovia Estadual Prefeito Ivo Zanella – SP-222

(via Pariquera-Açú/Iguape)

Distâncias

209 Km da Capital

 

História

A História de Iguape muito se confunde com a história do Brasil porque não existem dados suficientes para afirmar quem fundou a Vila de Nossa Senhora das Neves de Iguape.

Segundo um detalhado levantamento realizado pelo historiador iguapense Roberto Fortes citado em seu livro Iguape... Nossa História - lançado recentemente fruto de uma pesquisa realizada durante 20 anos - o povoado teve início em Icapara onde originalmente nasceu Iguape e o Bacharel Cosme Fernandes - um português desterrado que chegou ao local nos primeiros anos depois do descobrimento e que ainda de acordo com citações em livros e documentos teria vindo para o Brasil em 1502 na Armada de Américo Vespúcio – foi o fundador do local tendo sido auxiliado por índios das redondezas e por alguns desterrados.

Os dados históricos garantem também a presença de espanhóis na região. Mas ao contrário do que se pensava anteriormente não há registros oficiais de que os espanhóis tenham estado em Iguape no ano de 1498 e nem mesmo que o município tenha sido fundado pelos castelhanos e sim após 1500 por portugueses desterrados.

Mesmo assim há dados que registram a presença do castelhano Ruy Garcia de Moschera juntamente com um bando de fugitivos possivelmente foragidos do Rio da Prata. Os castelhanos chegaram à Iguape e aliaram-se ao Bacharel e juntos ajudaram a manter o povoado que constantemente era perseguido por naus piratas e corsárias.

No início do século XVII entre 1620 e 1625 a Vila de Iguape foi transferida para o local atual às margens do Mar Pequeno sendo então levadas a igreja matriz dedicada à padroeira Nossa Senhora das Neves a Casa da Câmara a Cadeia e a Casa de Fundição do Ouro considerada a primeira do Brasil localizada atualmente no prédio onde está o Museu Municipal.

Nessa época intensifica-se a mineração do ouro na região quando então a Vila de Nossa Senhora das Neves conheceu o seu primeiro ciclo econômico ocasião em que foram erguidos alguns dos principais casarões que modernamente ornamentam o núcleo urbano e alguns pontos afastados da cidade. Em fins do século XVII no entanto com a descoberta das Minas Gerais e com a decadência da mineração na região do Vale do Ribeira muitos proprietários de lavras e também mineradores transferiram-se para lá.

Somente em meados do século XVIII é que a Vila começa a se erguer economicamente com o advento das atividades ligadas à construção naval ocasião em que estabeleceram-se em Iguape muitos estaleiros nos quais foram construídos inúmeros navios e barcaças encomendados por importantes armadores de Santos e Rio de Janeiro.

Entre o final do século XVIII e início do século XIX a Vila de Iguape conheceu o seu ciclo econômico mais importante e faustoso: o ciclo do arroz. A elite agrária da Vila – constituída por muitos fidalgos portugueses e também por agricultores da terra todos proprietários de numerosa escravatura e donos de imponentes palacetes – concentrou todo o seu capital na lavoura do arroz cuja qualidade correu o mundo assegurando à Iguape um lugar privilegiado na exportação desse produto o que garantia aos abastados senhores expressivos dividendos.

A era do arroz destacou a Vila de Iguape como uma das mais importantes do Império: seu porto um dos principais do país; sua sociedade elitizada e fina comparada à da Corte do Rio de Janeiro.

No entanto em agosto de 1827 foi iniciada a abertura do Canal do Valo Grande. Até essa época todo o transporte de sacas de arroz era feito em canoas até o Porto do Ribeira e dali eram transportadas em carroças até o Porto de Iguape (Porto Grande). Para facilitar o transporte das sacas e também reduzir as despesas com fretes decidiram abrir esse canal que só foi totalmente terminado por volta de 1852 quando então possibilitava acesso a uma canoa por vez.

Com o tempo a obra se revelou fatal para a economia iguapense pois suas margens começaram a desbarrancar devido à força das águas do Rio Ribeira que passaram a entrar pelo canal e essa areia começou a ser depositada em frente ao Porto de Iguape o que aos poucos foi impedindo a entrada de navios.

Depois de muitos anos de lutas o Valo Grande foi finalmente fechado em 3 de dezembro de 1978 pelo então governador Paulo Egydio Martins com a construção de uma barragem nas imediações do Porto do Ribeira o que hoje também acarreta problemas sócio-ambientais ligados à pesca e à agricultura.

Com a abertura do Valo Grande a economia de Iguape foi enfraquecendo retomando sua força a partir da segunda metade deste século (XX) com maiores investimentos no setor terciário ou seja no comércio e mais recentemente na área do turismo e ecoturismo estes considerados atualmente a base de sua economia.

Fundação: 3 de dezembro de 1538 (471 anos)

Gentílico: iguapense

 

Administração

prefeito :   JOAQUIM ANTONIO COUTINHO RIBEIRO

Turismo

Principais Pontos Turísticos

Fonte do Senhor

Descrição: A Fonte do Senhor é um recanto turístico pertencente ao Parque Florestal Municipal do Morro do Espia. Possui uma área de lazer com agradável vegetação e tranqüilidade. Abriga uma gruta onde conta a história foi lavada a imagem do Senhor Bom Jesus de Iguape e por isso recebe milhares de visitantes durante o ano e especialmente durante a Festa em homenagem ao santo. A Fonte é um dos pontos de partida para a Trilha Ecológica do Morro do Espia.

Mar Pequeno - Manguezais

Descrição: A região compõem o Complexo Estuarino Lagunar do Mar Pequeno que engloba os municípios litorâneos de Peruíbe Iguape Cananéia no Estado de São Paulo e Paranaguá no Paraná. É rica em vegetação de mangue utilizado como berçário para as espécies marinhas e por isso é considerado um dos cinco maiores criadouros marinhos do mundo.

Mirante do Cristo / Morro  do Espia

Descrição: O Mirante do Cristo Redentor está localizado no Morro do Espia em área coberta por vegetação rasteira de gramíneas a 80 metros da base. Do lugar pode-se avistar a parte urbana de Iguape a Ilha Comprida o Estuário Lagunar do Mar Pequeno o Valo Grande e ao longe a Ilha de Cananéia e Ilha do Cardoso. O mirante é um dos recantos mais visitados de Iguape. O acesso pode ser feito com automóvel de passeio motos bicicletas ou a pé. É um dos pontos de partida para a Trilha Ecológica do Morro do Espia.

Praia da Juréia - Barra do Ribeira

Descrição: Distante 18 km do centro de Iguape onde o Rio Ribeira deságua no mar. Local com inúmeros atrativos como a praia da Juréia o Rio Suamirim e o Rio Ribeira de Iguape. Lugar excelente para a pesca prática do surfe e passeios de barco e caiaque. É também a porta de entrada para a Estação Ecológica de Juréia-Itatins. Além da estrada o acesso à praia inclui travessia por ferry-boat (balsa).

Praia do Leste

Descrição: Praia formada a partir do assoreamento do Rio Ribeira de Iguape. A presença de uma lagoa de água doce torna-a singular. Possui ainda extensa vegetação de restinga em freqüente transformação. Está localizada a 15 km do centro da cidade. Devido à forte correnteza e a presença de buracos não é recomendável para banho.

Outeiro do Bacharel

Descrição: Morro coberto por vegetação rasteira de gramíneas localizado no bairro Icapara. Possui uma trilha de aproximadamente 1 km a partir do centro de bairro que leva ao pico onde encontra-se o farol utilizado para sinalizar as embarcações que adentram ao Mar Pequeno. Do local avista-se a Barra do Icapara o encontro do Rio Ribeira de Iguape com o Oceano Atlântico a Ilha Comprida o Maciço da Juréia e os ecossistemas associados como restinga manguezal e a mata atlântica.

Trilha Ecológica do Morro do Espia

Descrição: A trilha possui cerca de 2 km de extensão e pode ser iniciada a partir de quatro pontos a sede do Ibama a Fonte do Senhor o Mirante do Cristo Redentor e a antiga Fazenda da Porcina. Durante o percurso pode-se observar variadas espécies da flora da mata atlântica como figueiras embaúbas bromélias e orquídeas além de vislumbrar a paisagem de toda a cidade pelo mirante da Pedra Lisa o ponto culminante da trilha.

Trilha Ecológica da Vila Alegria

Descrição: A trilha inicia-se no bairro Barra do Ribeira com a travessia do Rio Suamirim seguida de caminhada sobre o mangue através de uma passarela construída em madeira com cerca 300 metros. O passeio inclui a visita a um casarão construído no século XIX.

Trilha do Imperador

Descrição: Trilha ou Caminho do Imperador recebeu esse nome por servir de passagem de informações entre o Império e outras regiões do Brasil. Em 1871 foi inaugurada a linha telegráfica entre Iguape e Santos. Ainda hoje na extensão do Caminho pode-se encontrar vestígios dos centenários postes telegráficos motivo pelo qual o caminho também é conhecido por Trilha do Telégrafo. Além disso a trilha também serviu para o transporte de mercadorias entre Iguape Santos e todo o litoral. Conta a história que possivelmente a imagem do Senhor Bom Jesus de Iguape tenha sido trazida para o centro da Vila através dessa trilha.

Costão da Juréia

Descrição: Núcleo pertencente à Estação Ecológica de Juréia-Itatins localizado entre a Vila do Prelado e o Costão no Maciço da Juréia é a porta de entrada para a Trilha do Imperador. No local ao final da Praia da Juréia pode-se observar ecossistemas costeiros como dunas restingas e mata atlântica de planície seguidos da mata de encosta na Serra da Juréia. O acesso ao Costão depende de horário da maré.

Atrativos Histórico-Culturais

Museu Histórico e Arqueológico

Descrição: Localizado no centro histórico está instalado no prédio onde existiu a 1º Casa de Fundição de Ouro do Brasil no século XVII. Conta com duas exposições. Na exposição histórica são encontrados painéis gráficos e fotográficos objetos e documentos sobre a escravatura e os ciclos do ouro e arroz. Na  exposição arqueológica encontram-se sinais da ocupação pré-colonial como objetos líticos ósseos e cerâmicos encontrados nos sambaquis e confeccionados por grupos humanos da Pré-História Brasileira.

Sítio Arqueológo Caverna do Ódio

Descrição: Ocupado por períodos sucessivos de curta duração o abrigo conhecido como Caverna do Ódio serviu a um pequeno grupo que aí se instalou para pescar e coletar moluscos. O local é hoje um sítio arqueológico onde encontra-se vestígios de ações destes grupos representados através da estratigrafia que mostra a sobreposição de camadas correspondentes às diversas ocupações com a presença de manchas de carvão das fogueiras de restos ósseos de peixes e de pequenos animais e carapaças de moluscos e crustáceos

Museu de Arte Sacra

Descrição: Instalado na Igreja do Rosário (entrada lateral) datada do século XVIII o Museu de Arte Sacra recebeu reforma no prédio e restauração em seu acervo constituído por cerca de 100 peças dos séculos XVIII e XIX envoltas em vitrines de acrílico. São santos pratarias estandartes religiosos e relíquias do passado e da história religiosa da cidade.

Centro Cultural

Descrição: Espaço mantido pela Prefeitura de Iguape   reservado para exposições oficinas culturais peças teatrais dentre outras atividades ligadas à cultura. Está instalado em construção do século XIX no centro histórico da cidade.

Centro Histórico – Casario Colonial

Descrição: Compreende o maior centro histórico e arquitetônico preservado do Estado de São Paulo com 64 imóveis em estilo colonial português entre eles casarões e Igrejas. Nessas construções ricas em detalhes foram utilizadas técnicas como a taipa francesa e a taipa de pilão com porta-janelas e varandas. O conjunto de construções retrata os ciclos do ouro e do arroz   períodos  de grande desenvolvimento econômico de Iguape.

Basílica do Senhor Bom Jesus de Iguape

Descrição: Templo católico construído em pedra argamassa e óleo de baleia por escravos entre os séculos XVIII e XIX. Em seu acervo encontram-se imagens de santos entre elas a de Nossa Senhora das Neves (Padroeira) e do Senhor Bom Jesus de Iguape imagem encontrada na Praia do Una (Juréia) em 1647. A Basílica guarda também a Sala dos Milagres com objetos deixados pelos devotos por graças recebidas. A festa em louvor aos padroeiros é comemorada nos dias 5 e 6 de agosto.

Igreja de São Benedito

Descrição: Construção do final do século XIX reuniu os seguidores da Irmandade de São Benedito formada a partir do desentendimento entre membros da irmandade de Nossa Senhora do Rosário. A Igreja foi bastante freqüentada por negros naquele período. Hoje recebe devotos de todos os lugares especialmente no dia 6 de janeiro quando é comemorado o dia de São Benedito sendo também feriado municipal.

Bairro do Icapara

Descrição: Distante 10 km do centro da cidade o bairro foi a primeira localidade habitada no início da colonização por volta de 1538 (data oficial de fundação de Iguape) ou até mesmo antes da chegada dos portugueses tendo uma forte influência dos espanhóis na formação do seu povoado. É conhecido por abrigar muitas famílias de pescadores e por isso é um dos poucos bairros que ainda mantém viva a tradição e a cultura caiçara.

EVENTOS

- Janeiro

06 - Festa de São Benedito - Festa que comemora o dia deste santo. O evento é realizado na Igreja de São Benedito.

- Festa de São Sebastião - Outra festa religiosa que comemora o dia do referido santo. A comemoração não tem data exata mas ocorre sempre no terceiro domingo do mês, na Vila Garcez, na Igreja de São Sebastião.

- Junho

- Festa de São João Batista - Festa sacra em comemoração ao São João Batista. Realiza-se sempre no 4º Domingo do mês, na Igreja de São João Batista.

- Festa De São Pedro - Esta comemoração também acontece no 4º domingo do mês de Junho, e é celebrada na Barra do Ribeira, na Igreja de São Pedro.

- Agosto

05 - Festa da Padroeira Nossa Senhora das Neves - Festa em homenagem a padroeira, realiza-se a 5 de Agosto na Basílica.

06 - Festa Do Senhor Bom Jesus De Iguape - Também é comemorado na Paróquia de Nossa Senhora das Neves, acontecem, missa, novena e procissão. Durante a festa são projetados filmes religiosos e o Museu de Arte Sacra é aberto para visitação Pública.

- Festa a Santo Agostinho - Festa realizada no 4º domingo de Agosto. O evento acontece em Guaricana, na Igreja de Santo Agostinho.

Novembro

08 - Festa A Nossa Senhora Da Conceição - Festa Sacra em comemoração ao dia da Santa, em questão. Acontece em Icapara onde são realizados cortejos.

 

Site da cidade

http://www.iguape.sp.gov.br

 

Fonte

http://www.classificados-brasil.com/cidade/guaruja/educacao/

http://citybrazil.uol.com.br/sp/iguape/index.php

http://www.ferias.tur.br/informacoes/9210/iguape-sp.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Iguape

http://www.iguape.sp.gov.br/index.php?exibir=secoes&ID=34

 
MAIS SOBRE Iguapé:
 
Deixe seu Comentário
 
 
COMETÁRIOS SOBRE Iguapé:
 
21/08

Na unimes de iguape aceita bolcista do prouni?

Enviado por Rita às 20h10
 
Seções: A01 - Est. Turísticas | A02 - Est. Balneárias | A03 - Est. Climáticas | A04 - Est. Hidrominerais | C01 - Bauru | C02 - Campinas | C03 - Itapetininga | C04 - Mogi das Cruzes | C05 - Presidente Prudente | C06 - Ribeirão Preto | C07 - Santos | C08 - São Carlos | C09 - São José do Rio Preto | C10 - São José dos Campos | C12 - Sorocaba | C13 - Taubaté | D - MÚSICAS | E - BLOG DO JOÃO |
Portal: Inicial | Quem Somos | Como Anunciar | Fale Conosco | Enviar Email |

© Interior SP - Cidades. Todos os Direitos Reservados.

Desenvolvimento: UPWEB Internet Solutions