Busque sua Cidade
 
Inicial
 
Seções
A01 - Est. Turísticas
A02 - Est. Balneárias
A03 - Est. Climáticas
A04 - Est. Hidrominerais
C01 - Bauru
C02 - Campinas
C03 - Itapetininga
C04 - Mogi das Cruzes
C05 - Presidente Prudente
C06 - Ribeirão Preto
C07 - Santos
C08 - São Carlos
C09 - São José do Rio Preto
C10 - São José dos Campos
C12 - Sorocaba
C13 - Taubaté
D - MÚSICAS
E - BLOG DO JOÃO
 
Portal
Quem Somos
Como Anunciar
Fale Conosco
Enviar E-mail
 
Penápolis

Geografia

Demografia

Dados do Censo - 2000

População total: 54.635

Urbana: 50.620

Rural: 4.015

Homens: 26.691

Mulheres: 27.944

Densidade demográfica (hab./km²): 77,11

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 15,07

Expectativa de vida (anos): 72,65

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,01

Taxa de alfabetização: 92,48%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,810

IDH-M Renda: 0,756

IDH-M Longevidade: 0,777

IDH-M Educação: 0,897

(Fonte: IPEADATA)

A taxa de crescimento anual é de 1.26%, abaixo da média do estado – 1.50%.

Penápolis contava, em julho de 2008, com 42.960 eleitores, o que representa 0,147% dos eleitores do estado.

Hidrografia

Rio Tietê

Meios de transporte

Aeroporto de Penápolis, (asfaltado).

Hidrovia Paraná-Tietê, no Rio Tietê.

Ferrovia Novoeste S.A., (exclusiva para transporte de carga).

Rodovia SP-300 Rodovia Marechal Rondon

Rodovia SP-425 Rodovia Assis Chateaubriand

HISTÓRIA DA CIDADE

O núcleo populacional de Penápolis começou a se formar no início do século XX, com o estabelecimento de várias fazendas na região, após a expulsão dos índios coroados que ocupavam as terras situadas entre os campos do Avanhandava e as margens do rio Feio.  
Seu desenvolvimento foi impulsionado a partir de 1907, com a chegada dos trilhos da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil. Na mesma época, alguns frades capuchinhos de São Paulo adquiririam parte das terras loteadas por Manoel Bento da Cruz e, com o passar do tempo, novas famílias foram se instalando naquela área.  
A povoação progrediu principalmente em função da atividade cafeeira. Em 25 de outubro de 1908, frei Bernardino de Lavalle fundou o patrimônio de Santa Cruz do Avanhandava, que, em 17 de novembro de 1909, seria elevado à categoria de distrito do município de São José do Rio Preto, recebendo o nome de Penápolis, em homenagem ao presidente Afonso Pena.  
Em 16 de dezembro de 1910, o distrito foi transferido para o município de Bauru, adquirindo autonomia municipal pouco tempo depois, em 22 de dezembro de 1913.

Significado do Nome

Em 17 de Novembro de 1909, pela lei estadual 1.177, o Patrimônio do Santa Cruz do Avanhandava é elevado à condição de distrito de paz de São José do Rio Preto e passa a se chamar Villa de Pennapolis, em homenagem ao recém-falecido presidente da República Afonso Pena, grande incentivador das ferrovias.

Aniversário da Cidade 22 de Dezembro

Fundação: 25 de outubro de 1908

Gentílico: penapolense ou penapolitano

Administração

Prefeito:  CÉLIO JOSÉ DE OLIVEIRA

Economia

Fontes de renda e riqueza

No início de sua povoação floresceram a indústria extrativa e a madereira, as lavouras de café e de cana-de-açúcar, a pecuária de corte e o transporte de carga por carros-de-boi e porferrovia. Mais tarde surgiu a indústria de laticínios.

Atualmente conta com uma agro-indústria canavieira, a pecuária, lavouras de café. Penápolis possui um distrito industrial e um comércio diversificado. O Gazoduto Brasil Bolivia corta Penápolis na altura da estrada de Alto Alegre porém não abastece a cidade. A indústria canavieira desde alguns anos tem se expandido a ponto de se constatar que a agricultura familiar e a bacia leiteira não existem mais. A indústria canavieira está atualmente em severa crise prejudicando milhares de trabalhadores.

Ecologia

A região de Penápolis era inicialmente muito rica em fauna e flora com centenas de árvores frondosas à beira dos rios, especialmente as perobeiras, e hoje, pouco disto restou. A pecuária extensiva está praticamente desaparecida hoje assim como os cafezais. Predominando atualmente, na paisagem rural, a monocultura canavieira e pequenos cursos d'água assoreados e em processo de desaparecimento. A cidade sofre com a poluição causada pela queima da cana-de-açucar na época da colheita. Penápolis teve parte de suas terras inundadas pela represa de Nova Avanhandava, especialmente nos ribeirões Lageado e no córrego dos Pintos.

Turismo

As atrações turísticas de Penápolis e região são as praias às margens do Rio Tietê, museus, parques públicos, a primeira casa da cidade, represas, clubes de campo e a ExposiçãoNacional de Orquídeas em julho e a Festa do Peão alem da cavalgada no dia de São Francisco.

O monumento mais importante dedicado aos pioneiros de Penápolis está no Cemitério do Lageado, a vala comum dos pioneiros mortos pelos índios em 1883, o qual está abandonado.

Orçamento

Em 2006, A Prefeitura de Penápolis teve uma receita arrecadada de 54,605 milhões de reais e uma despesa total realizada de 53,914 milhões de reais, gastando 27,74% da receita originária de impostos em educação infantil e fundamental e 22,79% em saúde.

Cultura e Ensino

A cidade abriga a "Orquestra Penapolense de Música de Raíz", que divulga a música caipira.

Ensino Superior

A cidade conta com a Fundação Educacional de Penápolis que mantém 10 cursos universitários e 3 cursos técnicos, e com a Faculdade de Saúde de São Paulo, mantida pelo Instituto UBM, que mantém 3 cursos superiores.

Museus

Penápolis possui o Museu Histórico e Pedagógico Fernando Dias Paes Leme - Memorialista Gláucia Maria de Castilho Mucoucah , o Museu do Folclore, o Museu São Francisco, dedicado à iconografia sacra, e o Museu do Sol, dedicado à arte primitiva

TURISMO

As atrações turísticas de Penápolis e região são as praias às margens do Rio Tietê, museus, parques públicos, a primeira casa da cidade, represas e clubes de campo.

Principais Pontos Turísticos

Museu Municipal do Folclore

É um espaço em que se expõe uma coleção de objetos que expressam a cultura espontânea e bem aceita do povo. É um espaço que se abre para estudiosos e pesquisadores de Folclore. É ainda uma entidade dinâmica, que, por diferentes modos, procura atingir o público.
Ele surgiu como um dos objetivos do Centro de Folclore da FUNEPE (Fundação Educacional de Penápolis). Foi criado pela profª. Anésia Vince Ferreira, com apoio das primeiras turmas de Educação Artística, da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis, em 1974. Mas a constituição jurídica só se deu em 08 de outubro de 1993.
Ocupou diferentes espaços na FUNEPE. Em agosto de 1980, foi transferido para o centro de Penápolis, ocupando o andar superior do antigo prédio da Biblioteca Pública, na Rua Dr. Ramalho Franco. Houve mais três mudanças, de 1980 a 1996, quando o Museu de Folclore conquistou, definitivamente, seu espaço, no antigo prédio da Prefeitura, Praça 9 de julho, 150, de início, dividindo espaço com o Museu Histórico, depois, em abril de 2002, ocupando o prédio todo. Área total construída: 380,5 m². Criado em 1974.

Museu Histórico

Criado pelo decreto 33.980, de 19 de novembro de 1958, denominou-se Museu Histórico e Pedagógico Fernão Dias Paes, para complementar a rede de museus de mesma natureza no interior do Estado de São Paulo, através do Instituto Histórico e Geográfico.
O Museu conta com um acervo formado ao longo de seus 40 anos, no qual ocuparam a direção profª. Maria de Lourdes Freire de Souza Machado, profª. Maria Antonieta Dias de Aguiar Prouvot, profª. Anésia Vince Ferreira, profª. Elizabeth Bergner Dias de Aguiar e profª. Ana Maria Pereira Franco. É rico em significação histórica, em informação e em possibilidades de linguagens bastante variadas, criando condições de montagens de exposições temáticas, conforme a oportunidade.
O espaço que ora ocupa foi adequadamente preparado para receber as coleções que estão em exposição. Montado dentro dos padrões da museologia atual, sem desconsiderar as qualidades arquitetônicas do prédio – Patrimônio Histórico – idealizado, construído e ocupado pela administração municipal até 1996.
Suas exposições estão dentro dos padrões vigentes, recorrendo à imagem para transmissão da informação, enquanto sua biblioteca atua com mais profundidade sobre os vários aspectos da nossa história. 
Possui uma Sala de Teleconferências com os equipamentos necesários; um Banco de Dados com registro de cadastro de imigrantes em Penápolis, representando o único no interior do Estado; mantém um ateliê de arte educação para crianças e inicia esse trabalho com jovens; promove eventualmente cursos, exposições e intercâmbios, além de garantir monitoria aos visitantes de qualquer nível de conhecimento ou interesse; desenvolve pesquisas e atende pesquisadores.

Museu de São Francisco

Trata-se de uma homenagem profana que a cidade presta ao seu padroeiro São Francisco de Assis, cujo nome foi também atribuído ao Santuário de Penápolis, um dos raros no Brasil com o nome do Santo de Assis.
A idéia de se criar o Museu de São Francisco surgiu em 1980, quando da realização do IV Salão de Artes Plásticas da Noroeste, após consultas aos artistas visitantes.
Na ocasião, o então pároco frei Cirilo Bergamasco, em palestra mantida com o presidente da FUNARPE – Fundação das Artes de Penápolis – sugeriu a idéia, que foi aceita e proposta.
No ano de 1982, quando se iniciaram, na cidade, as comemorações litúrgicos-religiosas pelo 8º Centenário de São Francisco de Assis, a idéia cresceu e tomou vulto, passando a ser executada. Diversos artistas brasileiros, convidados, elaboraram seus trabalhos – pintura, escultura, desenho, gravura e artesanato – e os doaram à FUNARPE para compor o acervo do Museu.
Conforme proposto e aceito, o Museu é composto de um acervo que tem como tema um objetivo único, a vida e obra de São Francisco de Assis, ou seja…São Francisco, o místico; São Francisco e o Irmão Sol; Saõ Francisco e a Irmã Lua; São Francisco e a Natureza; São Francisco e as Aves; São Francisco e os Peixes.

Arte Primitiva - Naïf  - (Museu do Sol)

Em 16 de março de 1972, na R. Diogo de Faria, 539 – V. Clementino, SP, a pintora Iracema Arditi reuniu os mais expressivos representantes da Arte Ingênua Brasileira e inaugurou o Museu do Sol.
O objetivo desse Museu era permitir que a coleção da pintora ficasse mais próxima do público interessado, que frequentemente interrompia seu trabalho curioso em Arte Naif – Arte Ingênua. Iracema Arditi desejou e criou um espaço para prestigiar a obra desses artistas.

Mas por que Museu do Sol?

Nossa terra é toda luz, calor, cores e a pintura ingênua também é isso tudo. É uma pintura de amor, cheia de detalhes – explica Iracema. Outro sentido do nome Sol: Tirar esses artistas da penumbra em que se encontram, quase desconhecidos do público.
Durante o III Salão de Artes Plásticas da Noroeste, em 1978, o entusiasmo pelas artes visuais em Penápolis sensibilizou Iracema. Celso Viana Egreja liderava expressivo movimento artístico. Durante um almoço na fazenda Aparecida, empolgada, Iracema doou parte significativa de seu acervo para que a Fundação das Artes de Penápolis instalasse em definitivo com sede própria o Museu do Sol.
Inaugurado em 11 de outubro de 1980, a direção do Museu do Sol definiu as prioridades para a ação cultural da Instituição, centrando sua atuação na promoção da obra dos artistas primitivos, através da realização periódica de exposições. O acervo de 335 obras é composto de desenhos, entalhes, esculturas, gravuras, pinturas e objetos que tombados e catalogados encontram-se em exposição permanente.
Mantém biblioteca específica em música e artes visuais, atelier artístico com trabalho sistemático de arte-educação, estabelecendo um centro vivo de criação. 
Parque Municipal Maria Chica

É um espaço bastante utilizado para caminhadas por pessoas de diversas faixas etárias.

Estação Ferroviária

E. F. Noroeste do Brasil (1908-1975)
RFFSA (1975-1996) 
PENÁPOLIS 
(antiga SANTA CRUZ DO AVANHANDAVA)
Município de Penápolis, SP 
Linha-tronco - km 219,568 (1949)    SP-2690 
Inauguração: 02.12.1908 
Uso atual: depósito de cal   com trilhos 
Data de construção do prédio atual: c. 1950  
Histórico da Linha: A Estrada de Ferro Noroeste do Brasil foi aberta em 1906, seguindo a partir de Bauru, onde a Sorocabana havia chegado em 1905, até Presidente Alves, em setembro de 1906. Em janeiro de 1907 atingia Lauro Müller, em 1908 Araçatuba e em 1910 atingia as margens do rio Paraná, em Jupiá, de onde atravessaria o rio, de início com balsas, para chegar a Corumbá, na divisa com a Bolívia, anos depois. O trecho entre Araçatuba e Jupiá, que até 1937 costeava o rio Tietê em região infestada de malária, foi substituído nesse ano por uma variante que passou a ser parte do tronco principal, enquanto a linha velha se tornava o ramal de Lussanvira. Em 1957, a Noroeste passou a fazer parte da Refesa. Transportou passageiros até cerca de 1995, quando esse transporte foi suprimido. Em 1996, a Refesa deu a concessão da linha para a Novoeste, que transporta cargas até hoje.  
A Estação: A estação foi inaugurada em 1908 com o nome de Santa Cruz do Avanhandava. Em 1909, passou a se chamar Penápolis, em homenagem ao Presidente da República Afonso Pena. A estação original foi desativada por volta de 1950, com a retificação do trecho. Foi construída, então, na variante, uma estação nova, que é a atual.

HOTEL

http://www.hotelinsite.com.br/procura/resultado.asp?cid=penapolis

fontes

http://www.penapolis.sp.gov.br/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Penápolis

http://www.ferias.tur.br/informacoes/9477/penapolis-sp.html

http://www.temmais.com.br/Cidades/cidade_home.aspx?cidade_id=5124

 
MAIS SOBRE Penápolis:
 
Deixe seu Comentário
 
 
COMETÁRIOS SOBRE Penápolis:
 
06/10

Aí pessoal de Penapolis - dia 16/10 no CLUBE PENAPOLENSE vai ter a 5a etapa do TORNEIO GRAN DE NATAÇÃO REGIONAL! Participem e torçam pela garotada de Penapolis!!

Enviado por SIDNEY - BAURU às 18h34
 
Seções: A01 - Est. Turísticas | A02 - Est. Balneárias | A03 - Est. Climáticas | A04 - Est. Hidrominerais | C01 - Bauru | C02 - Campinas | C03 - Itapetininga | C04 - Mogi das Cruzes | C05 - Presidente Prudente | C06 - Ribeirão Preto | C07 - Santos | C08 - São Carlos | C09 - São José do Rio Preto | C10 - São José dos Campos | C12 - Sorocaba | C13 - Taubaté | D - MÚSICAS | E - BLOG DO JOÃO |
Portal: Inicial | Quem Somos | Como Anunciar | Fale Conosco | Enviar Email |

© Interior SP - Cidades. Todos os Direitos Reservados.

Desenvolvimento: UPWEB Internet Solutions